Por que uma pessoa bilionária (US$ 1,3 bilhão) com seus 83 anos ainda trabalha todos os dias? Este é o caso do empresário e apresentador Silvio Santos que recentemente entrou na lista da Forbes dos homens mais ricos do mundo. Outro exemplo é do empresário Antônio Ermírio de Moraes, 74ª homem mais rico do mundo e 3ª do Brasil, com seus 85 anos e US$ 12,7 bilhões, ainda trabalha como presidente do conselho de administração do Grupo Votorantim. Se você não consegue imaginar o que significa 1 bilhão de dólares a figura abaixo. O dinheiro está organizado em notas de 100 dólares.

Os mais ricos não querem aposentadoria

Se você observar a lista dos homens mais ricos do mundo (veja aqui) vai constatar rapidamente que a maioria já passou da idade de se aposentar. Você no lugar deles certamente não perderia seu tempo trabalhando. O fato é que todos os vovôs da lista abaixo continuam trabalhando ativamente em seus negócios. Observe no campo verde a idade dos 10 mais ricos do mundo.

Ser rico depende do pensamento

Será que as pessoas são ricas porque pensam mais em trabalho do que em dinheiro? Será que as pessoas são pobres porque pensam mais em dinheiro do que em trabalho? Veja o que Antônio Ermírio de Moraes (3ª mais rico do Brasil) pensa sobre dinheiro e trabalho.

Quando a pessoa consegue atingir a liberdade financeira, ainda jovens, passam a trabalhar por prazer e não por obrigação e quando se tornam idosas continuam trabalhando e construindo um patrimônio que talvez nunca tenham tempo para usufruir. A liberdade e estabilidade financeira fornecem segurança para realizar projetos de vida.

Você vai trabalhar muito na velhice

Estamos vivendo cada vez mais. Tudo indica que esta geração irá passar dos 90 anos de idade. O sonho de se aposentar com 60 anos será coisa do passado. Como se manter por mais 30 ou 40 anos estando aposentado? Ficar sem fazer nada o resto da vida não é presente, para muitos é castigo. Na verdade as pessoas vão se dividir em duas:

  • Pessoas que vão trabalhar por necessidade depois da aposentadoria para poderem viver;
  • Pessoas que vão trabalhar por prazer para manter seu bem-estar sendo útil para a sociedade.

É claro que existem aqueles por problemas de saúde ou de força maior dependerão da sorte ou dos filhos. E com a baixa taxa de natalidade que temos hoje, muitos idosos no futuro terão apenas 1 ou nenhum filho para auxilia-los. Mas isto é outro problema. A questão é: De qual lado você gostaria de estar? É uma questão de escolha e não de sorte. Você é responsável pelo seu futuro.

Vamos imaginar dois jovens de 30 anos. O primeiro se chama João. Ele é imediatista, consumista, vive o presente sem planejar o futuro. Curte a vida como se não houvesse amanhã. João possui uma boa renda, mas vive um padrão de vida acima da realidade. Não poupa e não investe. O salário que ganha hoje serve para pagar o consumo ontem. Não pode arriscar e nem ousar, porque qualquer erro pode significar perda de renda. E sem a renda do mês não pode pagar suas dívidas. Vive um dia após o outro, acomodado e em total estagnação profissional e financeira.

Com seu amigo Pedro a situação é diferente. Ele trabalha com João na mesma empresa e possui a mesma renda. Também curte a vida só que de forma planejada. Consome de forma racional e consciente. Vive um presente realista dentro de um padrão de vida compatível com seu salário porque possui um plano para o futuro. Ele trabalha hoje para atingir uma situação financeira mais segura daqui a uma década. E quando isto acontecer pretende trabalhar só com aquilo que gosta. E isto é possível porque estará seguro financeiramente através dos investimentos que pretende fazer com aquilo que consegue poupar. Sem medo de perder emprego, mudar de emprego, abrir um negócio, Pedro pode investir em novas oportunidades que aparecem. Pode sair do comodismo de um emprego monótono e buscar novos desafios em outras empresas ou até abrindo seu próprio negócio. Pedro pode correr mais riscos investindo nas coisas que gosta sem o medo.

Quanto mais Pedro consegue acumular patrimônio mais ele fica livre para tomar decisões sobre sua vida profissional e financeira. Esta segurança faz muita diferença na qualidade de vida das pessoas.

Você gosta da segunda-feira?

Com certeza você conhece algum amigo ou parente que toda segunda-feira publica fotos ou mensagens deste tipo nas redes sociais. A pessoa que vê o trabalho desta forma tem um sério problema. São estas pessoas que consomem todo salário com supérfluos utilizando como justificativa aquele argumento “Eu mereço, afinal de contas passei o mês todo trabalhando”. Como se o trabalho fosse uma doença dolorosa e o consumismo fosse um remédio que alivia as dores.

São estas pessoas que irão se aposentar com menos de 65 anos de idade e terão que continuar trabalhando, provavelmente em algo que não gostam para sobreviver. O consumo é um alívio para o sacrifício do trabalho por obrigação.

As pessoas que buscam estabilidade e liberdade financeira querem sair deste círculo vicioso de miséria.  Quando conseguem poupar e investir algum dinheiro ficam seguras para ajustar sua vida profissional para uma atividade que gostam de fazer. Trabalho bom é aquele que você faria até de graça. Abrir um pequeno negócio é um exemplo claro. Muitas vezes você possui um potencial empreendedor e por isto o trabalho rotineiro e sem desafios geram descontentamento. Existem pequenos empreendedores que são apaixonados pelos seus negócios porque fazem o que gostam e sua prioridade é produzir e servir com excelência. Nestes casos o dinheiro vem aos montes como consequência do trabalho bem feito. É por isto que os homens mais ricos do mundo adoram a segunda-feira e não querem pensar na possibilidade de parar de trabalhar.

Livro recomendado: Independência Financeira (clique para conhecer). Conheça todos os nossos livros sobre investimentos visitando aqui.

Receba novos artigos por e-mail

Gostaria de receber atualizações do Clube dos poupadores gratuitamente por e-mail?

Esse artigo foi útil?