O Índice Bovespa (IBOV) é calculado em tempo real com base nos preços das ações que fazem parte de uma “carteira teórica”, ou seja, ele simula o desempenho de um investimento em pouco mais de 80 ações, com pesos diferentes, entre as mais negociadas na bolsa brasileira. Quando o índice aumenta, isso sinaliza que, na média, os preços das ações que compõem o índice aumentaram. Algumas ações possuem maior peso que outras. Veja o gráfico do índice Bovespa.

Cotação e gráfico

Para acessar o gráfico atualizado de cada ação basta clicar no código. Clique nos títulos das colunas para ordenar.

Quando o índice Bovespa foi criado em 1968, o valor base definido foi equivalente 100 pontos. Desde então, o Índice Bovespa passou a sofrer variações e em 2019 ultrapassou os 100.000 pontos. É claro que alguns ajustes foram feitos nesses mais de 50 anos para que o número de pontos não ficasse gigantesco.

A B3, que é a empresa que opera a bolsa de valores brasileira, faz mudanças na composição das ações que fazem parte do IBOV a cada quatro meses (três vezes por ano). Dessa forma, cada carteira de ações do Ibovespa se mantém a mesma entre janeiro e abril, maio e agosto e setembro e dezembro de cada ano.

Os critérios para inclusão e os pesos atribuídos a cada ação são reavaliados pelos técnicos da Bolsa e com isso eles fazem o rebalanceamento do índice.

  • Só pode fazer parte do índice as ações negociadas regularmente, ou seja, com presença em pelo menos 95% dos pregões do último ano.
  • O volume financeiro precisa ser de pelo menos 0,1% do valor total negociado na bolsa no período.
  • Não fazem parte do índice as ações de empresas que passam por recuperação judicial e ações com preço muito baixo (menor que R$ 1 em média).
  • Cada ação possui um peso diferente e para definir esse peso a Bolsa consideram o valor de mercado total das ações disponíveis para negociação (free float).

Muitos fundos de investimento utilizam o Índice Bovespa como um objetivo a ser superado, ou seja, os gestores dos fundos possuem como missão superar o Índice Bovespa. Alguns fundos possuem o objetivo de replicar a mesma carteira de ações do Índice Bovespa para conseguir o mesmo desempenho.

Existem fundos negociados na bolsa ou ETF (Exchange Traded Fund) replicam o desempenho do índice Bovespa. Por serem fundos passivos, onde o gestor replica o índice, a taxa administrativa desses fundos é bem pequena. O baixo custo muitas vezes torna o desempenho de um ETF superior ao de um fundo de ações onde o gestor toma decisões ativamente para superar o índice.

Exemplos de ETFs que replicam o índice Bovespa:

Para quem deseja obter o mesmo rendimento do Índice Bovespa, o investimento em ETFs é a forma mais barata, rápida e eficiente de obter esse desempenho. Eu ensino como você pode fazer estudos, comparações e analises de ETFs para montar a sua carteira de ETFs através do livro Como Investir em ETF.

Se você deseja escolher as ações individualmente, selecionando ações das empresas que apresentam os melhores resultados financeiros, recomendo a leitura do livro Como Investir na Bolsa por Análise Fundamentalista. Para aprender a identificar os melhores momentos e oportunidades para a compra ou venda de ações eu recomendo a leitura do livro Como Investir na Bolsa por Análise Técnica.

Aprenda a investir:

Livros que escrevi para ajudar você a melhorar os seus resultados financeiros:

Clique para conhecer o livro Independência Financeira
Clique para conhecer o livro Como Investir em CDB, LCI e LCA
Clique para conhecer o livro Como Investir em Títulos Públicos
Clique para conhecer o livro Como Investir na Bolsa por Análise Fundamentalista
Clique para conhecer o livro sobre Como Investir na Bolsa por Análise Técnica
Clique para conhecer o livro Como Investir em ETF
Clique para conhecer o Livro Como Investir no Exterior