Vários leitores me questionaram sobre os motivos obscuros que fazem muitos gestores de fundos de investimentos, banqueiros e profissionais do mercado financeiro apoiarem políticos de ideologias que tradicionalmente destroem a economia do país provocando: crise econômica, crise fiscal, alta da inflação, desvalorização da moeda, aumento das taxas de juros etc.

A grande questão é:  Como é possível alguém com grande conhecimento sobre a economia, apoiar políticas que destroem a economia?

A reportagem abaixo esclarece muito bem os motivos (fonte):

Se realmente é mais fácil ganhar dinheiro quando o governo faz besteira, as instituições financeiras com seus sócios, economistas, técnicos e influenciadores tendem a apoiar os políticos que fazem besteira.

As besteiras resultam em alta da inflação e dos juros gerando ganhos na renda fixa. Na renda variável, quando as ações estão em queda, as instituições ganham dinheiro através da venda a descoberto (short selling) e por esse motivo tanto faz para eles se a bolsa está em queda livre. O mesmo pode ser feito através de operações de câmbio quando o real perde valor.

Você já sabe que investimentos de menor risco (renda fixa) remuneram mais quando existe uma maior percepção de risco sobre o futuro. Gestores de fundos gostam de ganhar dinheiro cobrando as taxas administrativas sem ter muito trabalho e isso acontece quando os juros estão elevados. Os bancos também ganham mais dinheiro quando os juros estão elevados.

Se você leu o meu livro sobre carteira de investimentos, entendeu que juros elevados na renda fixa ajudam a oferecer proteção contra as oscilações na renda variável. Isso facilita a vida dos gestores de fundos e o importante, para algumas instituições financeiras, são os resultados sem qualquer preocupação com outros aspectos.

Grandes empresários também apoiam políticos que destroem a economia, como você pode ver nesse vídeo recente aqui produzido por um ex-procurador da República que ficou famoso por coordenar a força-tarefa da Operação Lava Jato. Ele vai recomendar um livro sobre o assunto, o livro que ele recomendou é esse aqui. Existem mais detalhes envolvendo empresas listadas na bolsa de valores, nesse outro vídeo aqui.

Existe um tipo de política econômica que é famosa pode resultar em mais inflação e juros altos. Veremos alguns sinais de que essa política deve retornar no próximo ano.

O gráfico abaixo mostra a Taxa Selic Atual, que é ligeiramente menor que a Meta da Taxa Selic. Ela é a taxa que remunera títulos públicos como o Tesouro Selic. Muitas vezes ela é a mesma taxa que encontramos no CDI (Taxa DI) que remuneram títulos emitidos por bancos como CDB, LCI e LCA.

 

A Nova Matriz Econômica, indicada pela primeira linha vermelha vertical no gráfico acima (2010), é o nome dado ao conjunto de políticas econômicas adotado por governos populistas. Ela se caracteriza por uma política fiscal expansionista, juros artificialmente baixos, crédito subsidiado pelos bancos estatais, controle de preços e aumento das tarifas de importação para “estimular” a indústria nacional (empresas amigas do partido no poder).

Essa é a mesma política que produziu a maior crise econômica da história do Brasil. Ela atingiu o nosso país entre 2014 e 2016 resultando em um impeachment. Naquele tempo, a economia do país (PIB) regrediu sete anos em apenas dois anos.

Enquanto isso acontecia, os bancos, fundos de investimentos e outras instituições financeiras estavam ganhando muito dinheiro da forma mais fácil possível. Se você leu o meu livro sobre como investir em títulos públicos entende o enorme potencial de ganhos que existe quando você compra títulos quando “o governo faz besteira” e depois vende esses títulos (antecipadamente) quando o governo sobre um impeachment ou é substituído, fazendo os juros caírem quando as besteiras são corrigidas. Isso ocorre com títulos indexados ao IPCA e prefixados.

É importante entender o funcionamento da desastrosa “Nova Matriz Econômica” pois já ficou bem evidente que essa será a política econômica adotada pelo novo governo a partir de 2023, como podemos observar nessas manchetes (fonte).

Diante dessas evidências, esse é o momento para começar a aumentar as suas reservas para emergências, principalmente se você trabalha em uma empresa privada e sofre risco de demissão. Recomendo que você pesquise sobre qual foi o impacto sofrido pelo setor onde você trabalha durante a última grande crise que ocorreu no governo da impeachmada. O mesmo vale para pequenos empresários e profissionais autônomos que sofrem os efeitos da desaceleração da economia. Servidores públicos não estão livres dos problemas de uma economia quebrada.

Você precisa entender como os títulos públicos funcionam de forma detalhada, para que consiga proteger o seu patrimônio do mesmo desastre que atingiu a economia brasileira entre 2010 e 2016. Assim como os gestores dos fundos e banqueiros, é possível ganhar muito dinheiro nas crises produzidas por governos irresponsáveis enquanto você protege o seu patrimônio da inflação e da disparada dos juros. Como você sabe, eu tenho um livro sobre títulos públicos que é muito completo e detalhado. Ele acompanha muitas planilhas e simuladores.

Em momentos de crise, os bancos enfrentam dificuldades para captar dinheiro e os juros oferecidos em investimentos como CDB, LCI e LCA podem superar muito os juros dos títulos públicos. O problema é que você precisa ter muito cuidado ao avaliar cada banco no ambiente de crise.  São nas graves crises que os pequenos bancos costumam quebrar, logo depois da festa de crédito que eles oferecem quando o governo populista está patrocinando o endividamento das pessoas por meio do consumismo (crédito para casas, carros e eletrodomésticos). As crises geradas por grande inadimplência são comuns no final dessa “festa”. Eu falo sobre esse tipo de avaliação e sobre como os títulos emitidos pelos bancos funcionam de forma detalhada nesse outro livro aqui.

É muito importante que você prepare a sua carteira de investimentos para enfrentar momentos difíceis. Você deve montar e simular carteiras através dos conhecimentos e ferramentas que compartilhei no meu livro sobre carteiras de investimentos. Você pode fazer simulações com dados passados, como aqueles que atingiram os investimentos quando a Nova Matriz Econômica foi implementada desastrosamente.

É claro que durante o próximo ano eu pretendo escrever muitos artigos sobre esses temas (caso não censurem), mas talvez você não possa esperar isso acontecer caso já tenha patrimônio, pois não temos muito tempo. Invista nos seus estudos agora e evite desperdícios. Se a sua situação financeira não está muito confortável nesse momento, não desperdice suas economias na black friday, festas exageradas de final de ano, viagens desnecessárias ou qualquer outro meio que possa deteriorar sua reserva para emergências. Só comprometa o que você tem de sobra. Não desperdice o principal.

Se o pior acontecer, só as pessoas que estiverem preparadas e que dominam os conhecimentos sobre os investimentos terão condições de preservar o patrimônio. Se o pior não acontecer, tudo bem, você estava preparado(a).

Para a situação extrema em que tudo dará errado, é fundamental ter uma porta de saída aberta para o seu dinheiro. Eu recomendo que você leia o livro sobre como investir no exterior. Banqueiros, gestores de fundos e grandes empresários possuem parte do patrimônio deles no exterior e não ligam se tudo der errado. Eles sabem como movimentar rapidamente o restante do patrimônio que possuem no Brasil para contas no exterior. Atualmente, qualquer brasileiro pode ter conta no exterior de forma muito fácil e sem dificuldade com relação a língua e burocracia. No momento em que escrevo esse artigo, as leis ainda permitem que os brasileiros enviem o seu dinheiro legalmente para contas no exterior. Não sabemos se isso continuará assim no futuro. Através da sua conta será possível gastar o seu dinheiro no exterior ou fazer investimentos exatamente como você faz no Brasil através de uma corretora.

Aproveite o tempo que resta para se preparar para os próximos anos. Mergulhe nos livros e tenha cautela com o conteúdo superfinal sobre investimentos dos influenciadores que são patrocinados por bancos ou corretoras. Você já viu que, muitas vezes, as instituições torcem contra todos. Eles não têm compromisso nenhum com os seus resultados. Estude e não fique dependendo de recomendações de ninguém.

Receba um aviso por e-mail quando novos artigos como esse forem publicados. Inscreva-se gratuitamente:

Apoie o Clube dos Poupadores investindo na sua educação financeira. Clique sobre os livros para conhecer e adquirir:

Clique para conhecer o livro Independência Financeira
Clique para conhecer o livro Como Investir em CDB, LCI e LCA
Clique para conhecer o livro Como Investir na Bolsa por Análise Fundamentalista
Clique para conhecer o livro sobre Carteiras de Investimentos
Clique para conhecer o livro Como Investir em Títulos Públicos
Clique para conhecer o livro sobre Como Investir na Bolsa por Análise Técnica
Clique para conhecer o livro Como Investir em ETF
Clique para conhecer o Livro Como Investir no Exterior