A inflação é, efetivamente, uma disputa – uma disputa para ver quem obtém antes dos outros a maior fatia do dinheiro recém-criado – Murray Rothbard.

Muitos políticos defendem o aumento do gasto público, o fim de limitações de gastos (fim do teto de gastos), não pagamento de juros da dívida pública, impressão de dinheiro, distribuição de dinheiro, controle de preços, congelamento de preços, empréstimos com juros baixos e subsídios para setores específicos da economia (empresários amigos do governo) e outros mecanismos que resultam em inflação e desvalorização da moeda.

Eles dizem que tudo isso é para acabar com a desigualdade e ajudar os mais pobres. A grande verdade é que os políticos e os seus amigos se aproveitam dos mecanismos que geram a inflação.

Esses amigos dos políticos geralmente são empresários de determinados setores da economia e banqueiros que fazem parte de algum monopólio ou oligopólio. É muito importante que você entenda o efeito Cantillon que será apresentado no vídeo abaixo. Caso não consiga assistir ao vídeo, tente assistir nesse outro link.

O Efeito Cantillon nos fala sobre como o novo dinheiro, que os governos criam quando gastam mais do que arrecadam, se propaga e afeta o poder de compra do dinheiro que já existe no bolso da população.

Primeiro você precisa entender alguns conceitos. Dinheiro é apenas um meio de troca. O valor está nas coisas e serviços que o dinheiro pode comprar.

Geralmente os governos retiram uma parte do valor de tudo que a sociedade produz, através de impostos sobre a renda e o consumo. Só que o governo também pode criar dinheiro a partir do nada, sem a existência de produtos e serviços produzidos que possam ser comprados por esse dinheiro novo. Isso ocorre quando o governo gasta mais do que arrecada, sem um limite ou teto de gastos.

Sempre que um novo dinheiro é criado, sem a produção de algo de valor para ser comprado, todo o dinheiro no bolso de todas as pessoas perde poder de compra. Só que quanto mais próximo o indivíduo/empresa estiver da emissão do dinheiro novo, menos ele sentirá o efeito da perda do poder de compra do dinheiro (inflação).

O efeito da perda do poder de compra do dinheiro se propaga como aquela onda que se forma quando você joga uma pedra no meio de uma lagoa com água parada.

O poder de compra do novo dinheiro, nas mãos das primeiras pessoas que o recebem, é maior do que o poder de compra que esse dinheiro terá à medida que ele produzirá inflação enquanto circula pela economia. Exemplo: quando o governo gasta mais do que arrecada (imprime dinheiro) e entregar o novo dinheiro para os banqueiros financiarem a compra da casa própria, o primeiro a se beneficiar desse novo dinheiro é o banqueiro, depois os beneficiados são os empresários da construção civil (empreiteiras, construtoras e indústrias). O mesmo ocorre quando o governo escolhe um setor específico ou uma empresa específica para beneficiar com dinheiro novo. A demanda artificial gerada por esse novo dinheiro, produzirá inflação, que é a perda do poder de compra de todo o dinheiro do país, mas isso não ocorrerá imediatamente e por esse motivo não afetará os primeiros que gastarem o novo dinheiro.

Você já teve a curiosidade de investigar quais são os setores da economia que mais patrocinam, apoiam e até mesmo participam de “esquemas” em determinados governos? Você já meu artigo sobre a Cleptocracia?

É por esse motivo que Murray Rothbard disse: “A inflação é, efetivamente, uma disputa – uma disputa para ver quem obtém antes dos outros a maior fatia do dinheiro recém-criado”.

Vamos entender melhor. À medida que o dinheiro sem lastro algum, começa a ser gasto pelas primeiras pessoas que controlam esse dinheiro novo, os bens e serviços começam a faltar no mercado. Essa escassez representa um tipo de desequilíbrio entre demanda e oferta. A consequência desse desequilíbrio é o aumento de preços (inflação).

Políticos que defendem a ideia de que o governo deve gastar mais do que arrecada, sem qualquer limitação (teto de gastos), para combater a pobreza estão tirando proveito da ignorância financeira da população que não entende o Efeito Cantillon. Os grandes empresários e parte do mercado financeiro, que apoiam políticos populistas e irresponsáveis com as contas públicas, sabem muito bem o que fazem.

É por esse motivo que podemos considerar a falta de educação financeira como um risco à segurança nacional. As pessoas financeiramente ignorantes votam, apoiam e aplaudem decisões mal-intencionadas que resultam no empobrecimento da população. Políticos e empresários que sabem como o dinheiro funciona, e que não se preocupam com as consequências do que fazem, trabalham em simbiose. Na biologia, simbiose pode ser definida como uma associação a longo prazo entre dois organismos de espécies diferentes, seja essa relação benéfica para ambos os indivíduos envolvidos ou não.

Por qual motivo lógico os políticos querem empobrecer a população? O final o desenho animado, no vídeo que está no início do artigo, explica muito bem.

Quando todos estiverem pobres e dependentes das esmolas do governo, os políticos que estiverem no poder poderão se perpetuar, já que a liberdade será trocada pelo pão. Já os grandes empresários, amigos desses políticos, terão algum tipo de monopólio ou oligopólio para controlar com a menor concorrência possível. São eles que vão produzir o pão grátis, transporte público grátis, saúde grátis e tudo que ilusoriamente os políticos oferecem de graça.

Um país inteiro sem educação financeira termina sua história trocando a liberdade de ganhar dinheiro, poupar, empreender e investir por migalhas mensais oferecidas “gratuitamente” pelos governos.

Vivemos tempos difíceis. Hoje as pessoas só entendem explicações através de desenhos animados e memes. Você verá cada vez mais pessoas exigindo “dinheiro grátis”, benefícios, auxílios, subsídios e até a adição de um zero na conta de todos os brasileiros como forma mágica de acabar com a desigualdade.

O meme que aparece no final do vídeo acima, de forma infantil, tenta mostrar para a moça (que sofre de ignorância financeira) que não adianta dar mais dinheiro para o macaco, pois se isso acontecer sem mais bananas serem produzidas, o preço da banana será maior. O correto é mostrar para as pessoas que todos precisam trabalhar para plantar mais bananas. A banana só será barata ou acessível para todos quando todos trabalharem muito para produzir uma enorme quantidade de bananas. A riqueza é gerada quando trabalhamos, plantamos, colhemos, processamos, modificamos e disponibilizamos produtos e serviços no mercado em grandes quantidades e com concorrência. Criar dinheiro fácil e grátis só cria pobreza. Isso não é difícil de entender.

Invista na sua educação financeira. Aprenda mais sobre como todos os investimentos funcionam (conheça os livros que escrevi) e faça a proteção do seu patrimônio contra os efeitos da inflação. Agora, além de se defender da sua ignorância financeira, você precisa se defender da ignorância financeira da sociedade.

Receba um aviso por e-mail quando novos artigos como esse forem publicados. Inscreva-se gratuitamente:

Apoie o Clube dos Poupadores investindo na sua educação financeira. Clique sobre os livros para conhecer e adquirir:

Clique para conhecer o livro Independência Financeira
Clique para conhecer o livro Como Investir em CDB, LCI e LCA
Clique para conhecer o livro Como Investir na Bolsa por Análise Fundamentalista
Clique para conhecer o livro sobre Carteiras de Investimentos
Clique para conhecer o livro Como Investir em Títulos Públicos
Clique para conhecer o livro sobre Como Investir na Bolsa por Análise Técnica
Clique para conhecer o livro Como Investir em ETF
Clique para conhecer o Livro Como Investir no Exterior