Sempre recebo perguntas de leitores relacionadas com a estratégia de comprar dólares como investimento de longo prazo, normalmente com foco na aposentadoria. Essas perguntas se intensificam quando estamos vivendo momentos de crise.

São as incertezas sobre o futuro da economia brasileira que levam as pessoas para uma reflexão sobre comprar moeda estrangeira ou até investir fora do Brasil.

Acumular patrimônio em dólares parece mais seguro do que acumular patrimônio em reais. Existe a ideia de que o dólar é uma moeda forte e o real é uma moeda fraca.

As pessoas só pensam na possibilidade de comprar dólares quando ele está no meio ou no topo de uma tendência de alta. Você conhece alguém que tenha ficado motivado a comprar dólares quando ele custava menos de R$ 1,60 nos anos de 2008 e 2011? As pessoas só lembram de comprar dólares quando a nossa economia está em crise e a moeda americana atinge picos de alta. Clique para ampliar o gráfico.

O gráfico mostra o comportamento do preço do dólar desde o início do câmbio flutuante em 1999 até a pandemia de 2020. A linha vermelha no centro mostra o preço do dólar em R$ 4. Veja que alguém que tivesse comprado o dólar a quase R$ 4 em 2002 não teria observado qualquer rendimento até 2016 quando o país passava por uma crise que resultou no último impeachment. O dólar só voltaria para R$ 4 nas tensões geradas na eleição de 2018 e posteriormente com a crise da pandemia.

Temos então um período de tempo muito longo onde o preço do dólar apenas se movimentou entre uma crise e outra gerando oportunidades significativas apenas para aqueles que não se posicionaram com foco no longo prazo, mas que fizeram investimentos pontuais para aproveitar inícios de tendência de alta.

 

O gráfico acima mostra o preço do dólar, as crises e uma linha laranja que representa o IMA-S. Esse IMA-S é um índice que mede o desempenho de uma carteira de títulos públicos pós-fixados (como o Tesouro Selic) que rende o equivalente a taxa Selic. A data de início deste gráfico acima é a data de início da divulgação do IMA-S. Veja que no tempo em que os juros no Brasil eram elevados, nem mesmo o dólar conseguia superar o desempenho dos pós-fixados brasileiros.

O gráfico acima temos qual seria o desempenho de quem tivesse comprado dólar (linha verde) em 2011 e carregado esse investimento até 2020 na crise da pandemia. A linha laranja representa o investimento em uma carteira de títulos Tesouro Selic onde podemos perceber o declínio do desempenho com a forte redução dos juros que tivemos nos últimos anos.

Todos esses gráficos nos mostram a relação que existe entre o preço do dólar as crises econômicas. As crises sempre aconteceram e por isto devem continuar acontecendo. Observe que os motivos das crises que fazem nossa moeda perder valor são os mais diversos. Veja que os movimentos de valorização do dólar acontecem de maneira abrupta. Em semanas o dólar atinge picos e depois recua gradativamente no decorrer de muitos meses ou anos. É nessa queda gradual do dólar, que normalmente acontece depois das crises, que temos a oportunidade de compra gradual.

Dólar x IBOV

Já o movimento do preço do dólar e do preço das ações na bolsa tendem a ter uma correlação negativa. Quando o dólar está em alta geralmente a bolsa está em queda. Olhando o gráfico abaixo é possível observar que temos uma espécie de espelhamento, ou seja, o movimento de um é o inverso do outro. O gráfico vermelho na base do gráfico é o coeficiente de correlação. Quando ele é negativo temos uma correlação inversa. Podemos ver que na maior parte do tempo ele é negativo. É por esse motivo que o dólar ou investimentos dolarizados funcionam como uma proteção para quem investe na bolsa brasileira.

Dólar como reserva de valor ou investimento:

Diante de todos esses exemplos fica muito difícil adotar o dólar como investimento com foco no longo prazo pensando na aposentadoria a não ser que você invista esses dólares em ativos que se valorizem em dólares como ações, ETFs ou fundos imobiliários comprados através de uma corretora no exterior, como eu mostro no livro Como Investir no Exterior.

O gráfico abaixo mostra o desempenho de um ETF chamado SPY (linha vermelha) que é composto pelas 500 ações mais importantes das bolsas americanas que integram o índice S&P500. Este desempenho está em reais já que multipliquei o preço do SPY (que é cotado em dólares) pelo preço do dólar em reais. A linha verde é o preço do dólar em reais. Podemos perceber claramente que existe uma grande diferença entre investir no dólar para longo prazo e investir em ativos dolarizados que se valorizam com o tempo, como é o caso de ações ou ETFs que investem em ações nos EUA.

O dólar também pode ser utilizado como reserva de emergência em moeda estrangeira. Para algumas pessoas esse tipo de reserva é importante, principalmente a pessoa tem despesas em moeda estrangeira ou despesas que sofrem aumento de preços quando o dólar sobe. O mesmo vale para aqueles que tem planos de assumir despesas em dólares (como os custos de uma viagem).

Para saber se o dólar é um bom investimento leia esse artigo. Leia outros artigos sobre câmbio aqui. Para estudos do gráfico do dólar em reais visitando aqui. Aprenda a investir em ações, ETFs, fundos imobiliários dolarizados negociados nos EUA através do livro Como Investir no Exterior.

Leitura recomendada: livro Como Investir no Exterior. Conheça todos os nossos livros sobre investimentos visitando aqui.

Inscreva-se para receber nossos artigos por e-mail gratuitamente.