Todo pequeno investidor deveria saber que o nível dos juros em um país está relacionado a diversos fatores que geram percepções de risco para todos os investidores, principalmente os grandes investidores nacionais e internacionais.

Assista ao vídeo:

 

Quanto maior o risco percebido, maiores serão os juros para compensar o risco sofrido pelo investidor.

No caso do Brasil, as principais preocupações dos investidores são:

  • Dívida pública alta e trajetória futura incerta: O país tem uma dívida pública elevada e existem muitas dúvidas se conseguirá fazer com que ela diminua nos próximos anos. É claro que isso cria uma enorme percepção de segurança. Imagine se um conhecido do seu trabalho pedisse dinheiro emprestado para você. Esse conhecido está sempre envolvido com problemas financeiros e você sabe que ele está cada dia mais endividado. Você certamente só emprestaria o dinheiro se pudesse receber juros elevados em um prazo curto, para compensar o risco.
  • Carga tributária já alta: O Brasil tem uma carga tributária (impostos) alta em relação ao PIB (total de tudo que os brasileiros produzem). Isso limita a capacidade de aumentar a arrecadação para pagar a dívida. Isso torna a situação ainda mais arriscada. Se aquele conhecido do trabalho tem uma dívida que não para de crescer e você sabe que ele não tem mais condições de elevar a própria renda mensal, isso tornará o seu empréstimo ainda mais arriscado.
  • Baixo crescimento econômico estrutural – O crescimento econômico projetado não é muito alto, por volta de 2% ao ano. Um crescimento maior ajudaria a pagar a dívida mais facilmente. A economia cresce quando as pessoas estão dispostas a empreender e correr riscos. Elas fazem isso quando confiam no país e nas pessoas que o governam.
  • Gastos públicos não são eficientes: Há uma constatação histórica, muito bem documentada, sobre a ineficiência dos gastos públicos no Brasil e o envolvimento recorrente de políticos em crimes de corrupção, desvio de dinheiro público e formação de quadrilhas. Gastos ineficientes impedem o equilíbrio fiscal.

Diante desses fatores, os investidores percebem maiores riscos em emprestar dinheiro ao Brasil (títulos públicos), realizar investimentos privados (empreendedorismo e bolsa de valores) e realizar outros investimentos de renda fixa. Para compensar esses riscos esses investimentos só se tornam atrativos quando os juros oferecidos são elevados ou os preços dos ativos estão depreciados (no caso daqueles que são negociados na bolsa).

Reduzir os juros depende de políticas que melhorem as perspectivas nessas quatro frentes apresentadas.

Receba um aviso por e-mail quando novos artigos como esse forem publicados. Inscreva-se gratuitamente:

Apoie o Clube dos Poupadores investindo na sua educação financeira. Clique sobre os livros para conhecer e adquirir:

Clique para conhecer o livro Independência Financeira
Clique para conhecer o livro Como Investir em CDB, LCI e LCA
Clique para conhecer o livro Como Investir na Bolsa por Análise Fundamentalista
Livro Negro dos Im´óveis
Clique para conhecer o livro sobre Carteiras de Investimentos
Clique para conhecer o livro Como Investir em Títulos Públicos
Clique para conhecer o livro sobre Como Investir na Bolsa por Análise Técnica
Conheça o Virtudes, Vícios e Independência Financeira
Clique para conhecer o livro Como Investir em ETF
Clique para conhecer o Livro Como Investir no Exterior