Se você possui sonhos que precisam de dinheiro para serem realizados, leia as recomendações que faço no decorrer desse artigo.

Todos os dias eu recebo mensagens de leitores do Clube dos Poupadores relatando histórias de sucesso através do formulário de contato que temos aqui no site. Não consigo mais responder todas as pessoas individualmente, pois não faria outra coisa durante o dia de trabalho, mas selecionei uma dessas mensagem que representa bem todas as outras que recebo.

Oi Leandro, comecei a ler seus artigos com suas ideias em 2016 quando ainda estava pesquisando o que era um CDB. Na ocasião tinha aproximadamente R$ 30 mil para investir. Encontrei aqui muitos insights sobre empreendedorismo, investimentos, conceitos sobre as relações de capital x trabalho etc. Até o final deste ano devo atingir a marca de meio milhão de reais investidos, através de bastante disciplina com tudo que aprendi sobre poupar melhor, investir melhor e consumir de forma mais sabia. Enfim, o seu trabalho deve inspirar muitas pessoas e acredito que esse movimento sobre educação financeira no Brasil passa também pelas suas mãos e ideias, por que não?!

As pessoas entram no Clube dos Poupadores pela primeira vez através de buscas que fazem no Google sobre temas bem específicos e técnicos como CDB, Títulos Públicos, Ações, Juros etc. Algumas dessas pessoas encontram a informação que precisam e vão embora, mas outras sentem que poderiam aprender mais e acabam cadastrando um e-mail nesse formulário aqui para receberem nossos artigos semanalmente. É aqui que a “grande mágica” começa a acontecer.

Elas começam a receber meus e-mails com recomendações de artigos que falam sobre temas que vão muito além das questões técnicas envolvendo o funcionamento dos investimentos. São conteúdos que falam sobre as relações entre as pessoas e o dinheiro.

O que realmente faz alguém aumentar seu patrimônio de R$ 30 mil para R$ 500 mil em 4 anos, com apenas 30 anos de idade, não é um CDB que paga 120% do CDI ou qualquer outro investimento de renda fixa ou variável.

O que faz essa “mágica” é uma mudança de mentalidade e consequentemente de comportamento. Muitas vezes as pessoas já possuem uma boa renda ou estão diante de oportunidades para ganhar mais, poupar mais e investir melhor e desperdiçam por falta de uma mentalidade preparada para isso. Não adianta ter oportunidades na sua frente se você não as consegue ver ou não está motivado(a) para agarrar essas oportunidades.

Essa mudança de mentalidade não ocorre de forma rápida ou agradável e nem sempre conta com o apoio de amigos e parentes. Muitas vezes recebo comentários do tipo: “Isso que você escreveu foi como um tapa na minha cara”. Outros também comparam com “socos no estomago” e outras coisas desagradáveis.

Temos muitos conteúdos sobre educação financeira produzidos no Brasil que lembram programas infantis e de humor. Não é isso que as pessoas precisam, mas é isso que elas procuram.

Muitas vezes o que escrevo é incômodo, pois nos coloca de frente para realidades que não queremos ver. O papel que faço aqui está mais próximo de um pai “chato” que puxa a orelha dos filhos no meio de uma bagunça. São essas coisas que incomodam que muitas vezes fazem a “chave virar” na mente de alguns leitores.

A imagem acima é do perfil no Instagram do Clube dos Poupadores. Agora em 2020 voltamos a publicar conteúdo no Instagram, que é uma rede social que se tornou uma espécie de “parque de diversões” onde as pessoas passam cada vez mais tempo.

Se você não costuma usar o Instagram, você não está perdendo muita coisa ficando longe dele. Já se você usa o Instagram diariamente e não é inscrito no Clube dos Poupadores, acesse https://www.instagram.com/clubedospoupadores/ ou procure por @clubedospoupadores no seu Instagram.

Uma pesquisa recente (fonte) mostrou que o brasileiro é o segundo do mundo em tempo gasto na internet, onde a maioria desse tempo é gasta em redes sociais como o Instagram.

A pesquisa também mostrou que os países cujas populações passam mais tempo em redes sociais e na internet são quase exclusivamente compostos de nações subdesenvolvidas ou em desenvolvimento (Brasil, Argentina, Vietnam, México etc.). Curiosamente os países considerados desenvolvidos (Estados Unidos, Japão, França, Alemanha etc.) estão todos abaixo da média mundial na quantidade de tempo em que suas populações passam conectadas.

Existe uma clara e evidente diferença entre os hábitos, comportamentos e a forma de pensar da população que compõe um país desenvolvido.

As pessoas não se tornam profissionais bem sucedidos, não se esforçam para poupar e investir por decreto de um governante. Elas fazem isso por vontade própria e por terem recebido educação e bons exemplos dos seus familiares, amigos e vizinhos quando eram jovens. Os governantes podem apenas dificultar ou facilitar o meio, mas eles não determinam o sucesso de alguém determinado a ter sucesso.

Se uma pessoa gasta todo tempo livre que possui em redes sociais, passatempos, alimentando fantasias e ilusões, fica difícil sobrar tempo, disposição e dinheiro para fazer qualquer outra coisa que possa melhorar sua própria vida de forma concreta e duradoura.

No livro “Psicologia das Massas e a Análise do Eu” de 1921, Sigmund Freud escreveu algo importante para a educação financeira das pessoas, embora não fosse esse o seu objetivo. Deixo aqui o fragmento completo retirado de uma versão traduzida que tenho desse livro.

Quem conhece a vida de Freud sabe que nem ele conseguiu renunciar ou se livrar da força da influência das próprias ilusões. O que ele certamente conseguiu (e isso o coloca acima das outras pessoas do seu tempo) foi conseguir ter alguma distinção entre o que era ilusão e o que era real.

Freud identificou que uma vida onde a fantasia e as ilusões predominam, sustentadas por desejos irrealizados era determinante para a composição das neuroses (quadros que incluem diversos tipos de transtornos mentais e alguns tipos de depressão).

O que temos hoje na nossa sociedade são empresas, suas marcas e legiões de influenciadores digitais que povoam redes sociais, como o Instagram, entregando aquilo que as pessoas exigem, às quais não podem renunciar que são as ilusões que cultivam e alimentam diariamente.

Para essas pessoas, não vale a “prosaica realidade objetiva”, ou seja, a realidade assim como ela é, sem fantasias, sem ilusões e tão desagradável como costuma ser. Para as pessoas, cada vez mais neuróticas, a única coisa que existe é a realidade que elas mesmas criam com ajuda de todos que ganham muito dinheiro com isso.

Quando você dedica algum tempo da sua vida todos os dias para ter contato com artigos, pensamentos e provocações capazes de trazer seu foco para o mundo real, isso inevitavelmente altera seu comportamento com relação ao trabalho, consumo, poupança e investimentos.

Como consequência, você acaba encontrando seus próprios meios, suas soluções, dependendo da sua realidade, para multiplicar o seu patrimônio sem fórmulas mágicas, mas com a disciplina, que o nosso leitor destacou na sua mensagem, para implementar diariamente os conhecimentos que podemos adquirir através de uma educação financeira realista.

Não existem investimentos mágicos, existe um processo de autodisciplina, autoconhecimento, autocontrole sobre suas próprias fantasias, ilusões, desejos que habitam seu mundo psíquico e que as empresas, marcas e influenciadores conhecem profundamente.

Os investimentos fazem a última parte do trabalho, que é preservar e multiplicar valores no longo prazo. No curto prazo você precisa fazer a sua parte que é ganhar muito dinheiro, para poder poupar muito dinheiro (sem prejudicar sua qualidade de vida) e consequentemente ter recursos para a fase dos investimentos.

O sucesso financeiro ou o sucesso em qualquer área da sua vida passa por mudanças na nossa forma de pensar. Esse processo de mudança se divide em três etapas que povos muito antigos já descreveram de diversas formas, mas que podemos resumir assim:

  1. Consciência
  2. Coerência
  3. Constância

A consciência acontece em uma questão de segundos, mas o preparo para esse momento pode ser longo. Você começa a acessar determinados conteúdos e isso vai se acumulando na sua mente sem uma completa conexão. Essa fase de acumular conhecimento pode demorar meses ou até anos, até o dia em que um simples texto ou até uma única frase consegue conectar todos esses conteúdos. Em segundos, tudo passa a fazer sentido. Isso é o “cair da ficha” ou o que os gregos chamam de Epifania (sentimento que expressa uma súbita sensação de entendimento ou compreensão da essência de algo).

Depois da consciência você entra na fase de coerência. É quando você começa a questionar seus hábitos que vão contra a sua recente mudança de mentalidade. Mudança de hábito é como uma atualização de software, pois na verdade hábitos são exatamente como softwares que funcionam de forma automática. A falta de coerência se manifesta através de dúvidas, questionamentos, “travamentos”. Assim como um computador, você terá que desinstalar o hábito desatualizado, pois eles não são mais compatíveis com a atualização que você sofreu na mente.

Por fim chega a fase da constância. Não é possível mudar um hábito a partir de uma nova consciência se você não tiver paciência para manter esse trabalho até completar 100%. Se você utiliza um computador com Windows, já deve ter visto essas frases na figura logo abaixo. Com as pessoas é a mesma coisa. Na fase da constância é necessário ter paciência enquanto os hábitos são atualizados, pois isso pode demorar um pouco e você não pode se “desligar” dessa tarefa enquanto o trabalho acontece. A mensagem no rodapé da figura abaixo diz “o computador será reiniciado várias vezes” também pode ocorrer na sua vida quando os hábitos forem modificados. Mudanças na vida são uma consequência inevitável.

Para realizar sonhos que precisam de dinheiro, você precisa aprender a ganhar dinheiro, poupar dinheiro e investir o seu próprio dinheiro até que tenha os recursos necessários para realizar esses sonhos. Isso vai exigir uma completa mudança nos seus hábitos, passando pelo processo de consciência, coerência e constância. É provável que você até melhore os tipos de sonhos que deseja realizar.

No início do ano eu costumo escrever um artigo sobre a economia do país e investimentos (veja aqui) para compartilhar com todos os leitores, especialmente os mais avançados (que já leram meus livros). Ele ajuda a refletir sobre o que podemos esperar, como nos organizar e nos preparar, pois nossa vida financeira não está desconectada da vida financeira do país. Uma leitora, que recebe esses artigos, deixou o comentário:

Olá, Leandro! Eu e meu noivo queremos te agradecer por ser uma pessoa tão excepcional e compartilhar tantos assuntos importantes. Nos sentimos privilegiados em acompanhar o Clube dos Poupadores e ter acesso aos seus livros, que são de conteúdo riquíssimo e didática sensacional. Há 6 anos, no início do namoro, começamos guardando dinheiro em cofrinhos, depois investindo em renda fixa e agora estamos nos aprofundando em renda variável. Compramos dois carros à vista, sendo que um deles foi pago somente com os juros recebidos, e estamos finalizando a construção da nossa casa, pagando tudo à vista e com saldo positivo na conta. Nos sentimos completamente realizados em atingir todos esses objetivos e ter tantos outros sonhos a serem realizados pela frente! Obrigado por ser o nosso mestre!

Muitas vezes nossos sonhos podem ser conquistados com o chamado “dinheiro barato” que recebemos dos nossos investimentos e não com “dinheiro caro” que nos oferecem através de financiamentos e empréstimos (leia esse artigo sobre dinheiro barato). Só você lucra quando muda sua mentalidade sobre os meios para realizar seus sonhos. Esse é um exemplo importante, entre muitos, de mudança de mentalidade.

E aqui vão quatro coisas que você pode fazer para começar a atualizar sua mente para conquistar o dinheiro que precisa para realizar seus sonhos. Siga os quatro passos:

  1. Cadastre o seu e-mail aqui no Clube dos Poupadores (visitando aqui) e convide seus amigos e parentes para que façam o mesmo. Você receberá um aviso sempre que novos artigos forem publicados. Isso ajudará você a ter contato com novas ideias semanalmente.
  2. Siga as publicações que estamos fazendo no Instagram do Clube dos Poupadores quase todos os dias (visite aqui para se inscrever). Motive seus amigos e parentes para que façam o mesmo. Reduza o número de pessoas que você segue nas redes sociais que motivam você a fazer aquilo que atrapalha a conquista dos seus sonhos. Limpe seu Instagram, WhatsApp e Youtube de inscrições que atrapalham e tiram o seu tempo livre.
  3. Faça uma “maratona de estudos” sobre educação financeira no decorrer desse ano. Observe no menu superior deste site que existe uma opção chamada “Aulas”. Existem centenas de artigos divididos por categorias. Você também pode aprender, de forma mais rápida, organizada e didática, através da nossa série de livros, visite aqui. Dica: comece pelo livro sobre Independência Financeira e depois leia os livros sobre os investimentos.
  4. Se você já passou pela fase da consciência, mas não consegue sair da fase da coerência e da constância por falta de disciplina, falta de paciência, falta de tempo, falta de dinheiro, falta de qualquer outra coisa ou por qualquer outro motivo, eu recomendo fortemente que leia o livro “Resistência”, que você encontrará no meu site pessoal.

Depois de algum tempo, retorne e me envie sua história no formulário de contato ou registre nos comentários dos artigos para motivar outros leitores.

Livro recomendado: Independência Financeira (clique para conhecer). Conheça todos os nossos livros sobre investimentos visitando aqui.

Inscreva-se para receber nossos artigos por e-mail gratuitamente.