O Banco Voiter, que se chamava Banco Indusval, é um banco que oferece investimentos de renda fixa como CDB, LCI e LCA através de diversas corretoras.

Neste artigo vou apresentar algumas informações sobre o banco, links e livros para que você aprofunde seus estudos sobre renda fixa.

É importante que você conheça os bancos onde você investe o seu dinheiro.

Como o banco ganha dinheiro:

Em 2019, o banco passou por um reposicionamento estratégico para buscar recuperar seu desempenho financeiro e operacional. O posicionamento do Voiter é ser um banco de serviços a seus clientes. Os principais focos de atuação são:

  • Empresas.
  • Produtores Rurais.
  • Empreendedores.
  • Investidores.

Com ênfase setorial em:

  • Agronegócio.
  • Tecnologia e Nova Economia.
  • Energia.
  • Infraestrutura.

História do Banco:

O Banco Indusval foi fundado em 1991, voltado para a concessão de crédito corporativo para o segmento de Empresas Emergentes e Corporate.

Seu IPO foi realizado em 2007, com capitalização de R$ 227,5 milhões. Ao final daquele ano, foram abertas agências no Rio de Janeiro, Maringá, Uberlândia, Porto Alegre e Campo Grande.

Em 2011, o banco deu início à nova fase de expansão, quando houve aumento de capital de R$ 201 milhões. Naquele ano, sua marca foi reposicionada como Banco Indusval & Partners (BI&P).

Sua corretora foi renomeada para Guide Investimentos em 2013, como parte da estratégia de aumentar a atuação no segmento de varejo alta-renda. Junto com o novo nome, foi lançada uma plataforma aberta para distribuição de produtos financeiros.

A recessão do final de 2014, que se agravou significativamente nos anos seguintes, impactou o balanço da maior parte dos bancos de nicho, que possuíam exposição excessiva a determinados segmentos da economia. No caso do Indusval, a quebra da comercializadora de soja e milho Ceagro, em 2015, deflagrou um período árduo para o banco.

Ainda em busca do reequilíbrio financeiro, vendeu cerca de 69% do capital da Guide Investimentos para o grupo chinês Fosun em 2018, além de ter realizado a alienação de ações e aquisição de bônus de subscrição.

No início de 2019, o Indusval passou por um grande movimento de mudança para buscar recuperar seu desempenho financeiro e operacional. Após a realização de consecutivos aportes de capital, o empresário do agronegócio Roberto de Rezende Barbosa tornou-se o maior acionista da instituição.

Naquele ano também houve troca total da administração, com o executivo Fernando Fegyveres (ex-Itaú BBA) sendo contratado para ser o CEO, e venda da participação ~20% remanescente que o banco detinha na Guide.

Ainda em 2019 foi lançado o Smartbank, plataforma de produtos bancários, que começou a ser desenvolvida no fim de 2017 em parceria com o fundo americano The Hive.

Para demonstrar mais claramente suas novas atividades e diretrizes, em 2020 sua marca foi alterada e foi proposta uma reorganização societária. A proposta de reorganização passou pela criação de uma holding – mantendo Roberto Rezende Barbosa como acionista majoritário e controlador – e pela cisão das 3 unidades de negócios:

Voiter: Segue na linha de negócios estabelecida pela nova administração e com ativos nos segmentos Corporate, Agro, Energia, Tecnologia (Nova Economia), entre outros.

Smartbank: Braço de Banco Digital do Grupo.

Banco legado: Ficará com a carteira legado de operações não rentáveis em setores nos quais o Voiter não tem interesse em ter exposição, além de carteira inadimplente, gerada em anos anteriores a esta administração.

Ao fim de julho de 2020, o conselho de administração do Voiter aprovou a reestruturação societária proposta e criou a holding NK 031 Empreendimentos e Participações.

No último mês de dezembro, a holding incorporou a totalidade das ações em circulação do Banco Indusval, fazendo com que deixasse de ser listado na B3. Em fevereiro de 2021, foi aprovado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) o cancelamento do registro do Banco como companhia aberta.

Em abril de 2021, o SmartBank passou a se chamar LetsBank e adquiriu a fintech IOUU, especializada em empréstimos peer-to-peer para empresas. Sua estratégia também foi alterada para focar as atenções no mercado de PMEs.

Em julho, o LetsBank deixou de ser uma subsidiária do Voiter, como proposto na reorganização societária, tendo sua participação transferida à NK 031.

Garantias

Ao investir em qualquer banco (CDB, LC, LCI e LCA), o investidor está coberto pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) para aplicações até o limite de R$ 250 mil por CPF ou CNPJ por conjunto de depósitos e investimentos em cada instituição ou conglomerado financeiro, limitado ao teto de R$ 1 milhão, a cada período de 4 anos, para garantias pagas para cada CPF ou CNPJ. Letras Financeiras (LFs) não são elegíveis à garantia do FGC.

Um conglomerado é composto por diversas instituições, que podem atuar em segmentos distintos. Por exemplo, uma instituição pode ser um banco comercial e outra uma corretora de valores. Cada instituição também possui seus resultados individualizados.

Riscos

Ao investir em um banco é importante acompanhar os seus resultados financeiros. Um dos vários indicadores importantes é a “Carteira de Crédito por Nível de Risco” que você pode acessar aqui.

Existe uma classificação determinada pelo Banco Central na resolução nº 2.682. Os créditos bancários são classificados em nove níveis, sendo eles: AA (menor risco), A, B, C, D, E, F, G e H (maior risco). Sendo assim, a carteira E-H inclui os créditos mais arriscados e aqueles com atraso de pagamento acima de 91 dias. Esses créditos exigem provisão entre 30% e 100% sobre o valor das operações.

As metodologias de determinação do risco levam em consideração fatores do devedor e seus garantidores como: situação econômico-financeira, grau de endividamento, capacidade de geração de resultados, fluxo de caixa, administração e qualidade de controles, pontualidade e atrasos nos pagamentos, contingências, setor de atividade econômica e limite de crédito. Em relação à operação de crédito: natureza e finalidade da transação, características das garantias quanto à suficiência e liquidez e valor. Quanto maior a parte da carteira de crédito do banco com classificação AA ou A melhor será, ou seja, menor o nível de risco.

Para aprender a avaliar diversos indicadores antes de investir em CDB, LCI e LCA leia este livro aqui.

Outros links:

Receba atualizações semanais sobre novos artigos publicados: Inscreva seu e-mail aqui.

Apoie o Clube dos Poupadores investindo na sua educação financeira. Clique sobre os livros para conhecer e adquirir:

Clique para conhecer o livro Independência Financeira
Clique para conhecer o livro Como Investir em CDB, LCI e LCA
Clique para conhecer o livro Como Investir na Bolsa por Análise Fundamentalista
Clique para conhecer o livro sobre Carteiras de Investimentos
Clique para conhecer o livro Como Investir em Títulos Públicos
Clique para conhecer o livro sobre Como Investir na Bolsa por Análise Técnica
Clique para conhecer o livro Como Investir em ETF
Clique para conhecer o Livro Como Investir no Exterior