Neste artigo vou comentar um estudo que mostra as 20 ações que mais pagam dividendos e JCP (juros sobre capital próprio) e algumas informações úteis para quem usa ou pretende usar a estratégia de “colecionar” ações que pagam dividendos.

No artigo anterior eu falei sobre duas variações da mesma estratégia: investir em ações que pagam dividendos e investir em ETF de dividendos. Se você leu o artigo, viu que as duas estratégias podem se complementar.

Alias, é importante que você aprenda logo que no mundo dos investimentos não existe a estratégia certa/errada, não existe o investimento melhor/pior, bom/ruim etc. Existem investimentos e estratégias que possuem suas características. Para algumas pessoas essas características podem ser entendidas como vantagens e para outras como desvantagens. Na verdade elas podem ser complementares.

Na renda variável você pode ter parte do seu dinheiro em uma carteira de ações de crescimento (ganho com a valorização da ação ou ganho de capital) e parte do seu dinheiro em uma carteira de ações de dividendos (ganho com geração de renda).  Essas estratégias ganho de capital e geração de renda podem se complementar. Dentro dessas estratégias você ainda pode ter uma carteira para prazos mais curtos e outra para prazos mais longos. Uma pode ser composta por suas ações preferidas (que provavelmente serão poucas) e outra com ETFs que investem em muitas ações diferentes para garantir uma maior diversificação e “automação” do investimento.

A Economatica fez um estudo que resultou em uma lista com as 20 ações que mais pagaram dividendos e juros sobre capital próprio nos últimos anos. Esse tipo de lista ajuda o investidor a ter um ponto de partida para seus estudos (análise dos fundamentos das empresas), ou seja, ela não deve ser entendida como uma recomendação de investimentos.

Antes de comentar  a lista de ações é importante entender que o Dividend Yield que aparece no estudo é o indicador que mede o ganho que o acionista tem ao receber dividendos e juros sobre capital próprio (JCP). O cálculo do Dividend Yield que aparece no estudo é bem simples:

Dividend Yield = Dividendos + JCP´s distribuídos em 12 meses dividido pelo preço da ação sem ajuste no início dos 12 meses analisados. No estudo o Dividend Yield foi calculado em cada ano, usando a janela de 12 meses pela data de 27 de julho de um ano para o outro.

Vou explicar o gráfico abaixo.

O gráfico mostra a evolução do Dividend Yield de 12 meses na forma de uma taxa percentual (mediana) considerando todas as ações de empresas listadas na bolsa que pagaram dividendo ou JCP´s aos seus acionistas entre 2010 e 2020.

A linha azul mostra Dividend Yield considerando dividendo + JCP. A linha verde mostra só o dividendo e a linha vermelha só o JCP. A diferença entre dividendo e JCP para o investidor é apenas com relação ao imposto de renda, já que o dividendo é isento de imposto de renda e o JCP tem imposto de renda de 15% sobre o valor recebido.

O primeiro número no gráfico acima (linha azul) mostra 3,28. Ele nos diz que, na mediana, as empresas pagaram 3,28% do valor de suas ações, durante 2010, na forma de dividendos e juros sobre capital próprio. Separadamente foram 1,76% de dividendo (linha verde) e 1,57% de JCP (linha vermelha).

Observe que entre 2010 e 2016 aconteceu uma redução gradativa do Dividend Yield pago pelas ações listadas na bolsa. Você deve se recordar que o país enfrentou decisões econômicas equivocadas, crise política, escândalos de corrupção e até um impeachment. Isso gerou consequências nos lucros das empresas, nos preços das ações e na queda no Dividend Yield. Observe que depois de 2017 ocorreu um processo de recuperação do Dividend Yield, enquanto também acontecia um ciclo de queda da taxa básica de juros.

No gráfico acima podemos ver na linha azul o nosso PIB anualizado e na linha preta o Índice Bovespa entre 2010 e 2020. Podemos perceber o mesmo padrão de queda no PIB e queda no Índice Bovespa até 2016 e uma recuperação da economia e do preço das ações depois de 2016.

Quando a economia cresce ou se recupera de uma crise, as empresas lucram mais. Quando as empresas lucram mais elas distribuem mais dividendos, JCP e suas ações ficam mais valiosas. Então o melhor momento para comprar ações que pagam dividendos é justamente em crises ou no início de um período de recuperação da economia, quando os resultados no presente estão prejudicados ou quando as expectativas sobre o futuro são pessimistas.

Podemos observar no gráfico anterior que ocorreu uma redução no Dividend Yield em 2020, que vinha crescendo. Muitas empresas reduziram o pagamento de dividendos devido ao impacto da crise da pandemia nos seus resultados financeiros.  As empresas vendem menos, lucram menos e naturalmente distribuem menos dividendos para os donos de suas ações. Entre 2016 e 2019 ocorreu um crescimento constante na distribuição de dividendos e JCP, sendo que as empresas distribuíram mais JCP do que dividendos.

A tabela abaixo mostra as 20 ações que pagaram os maiores Dividend Yields nos últimos 5 anos, justamente no período de recuperação da bolsa e da economia iniciado em 2016. Você pode clicar na tabela para ampliar.

Para elaborar essa lista a Economatica usou como “data base” o dia 27 de julho de cada ano para formar a janela de 12 meses. Só entraram no estudo as ações com volume financeiro médio diário negociado na bolsa superior a R$ 500 mil/dia em 12 meses até o dia 27 de julho. Para fazer parte da amostra a ação tinha que ter o Dividend Yield maior que zero nos cinco anos do levantamento.

O estudo nos mostra que a ação da Comgas PNA (CGAS5) pagou aos seus acionistas 15,15% na mediana ou na média 17,41% ao ano. A Sanepar PN (SAPR4) com mediana de 5 anos de 10,49% é a segunda mais bem posicionada.

Observe os setores que mais pagaram dividendos. Existem sete ações do setor de bancos, três de energia elétrica, duas seguradoras e outros oito setores com uma ação cada. Observe os Dividend Yield de cada ano e perceba que algumas ações apresentam grandes variações no Dividend Yield pago enquanto outras oferecem um Dividend Yield bem estável e equivalente ao seu valor médio.

Não é por coincidência que várias dessas ações fazem parte da carteira de investimento dos ETFs de dividendos. Esses ETFs oferecem uma forma automatizada de sempre estar investindo nas ações que pagaram os melhores dividendos. Já falei sobre isso neste artigo aqui mostrando as vantagens e as desvantagens entre investir diretamente em ações de dividendos e investir em ETFs de dividendos.

Para investir diretamente em ações que pagam dividendos eu recomendo que você estude e acompanhe as ações que você selecionar como suas preferidas. O dividendo pago no passado não garante o pagamento de dividendos no futuro. Recomendo que você faça uso de alguma ferramenta de análise dos fundamentos as empresas. Eu apresento como usar essas ferramentas no meu livro sobre análise fundamentalista.

Na tabela acima temos o estudo considerando somente o pagamento de dividendos, ou seja, sem incluir o JCP. A Comgas PNA (CGAS5) é a  que mais paga o acionista através de dividendos com 14,76% ao ano na média. A Enauta ON (ENAT3) é a segunda ação com melhor desempenho e 9,74% ao ano na média. A Itausa PN (ITSA4) é a vigésima melhor com 3,61% na média.

Na tabela acima temos somente as ações que pagam os melhores juros sobre capital próprio (JCP). Temos a Ferbasa em primeiro lugar com 8,61% na média. Sanepar PN é a segunda com 8,52% ao ano na média. Observe que entre as 20 ações temos onze de bancos.

Mais uma vez é importante destacar que esse tipo de lista não é uma recomendação de investimento. Ela só serve como um ponto de partida para os seus estudos de análise dos fundamentos de cada empresa. Como temos mais de 300 empresas com ações na bolsa, você deve selecionar algumas para iniciar seus estudos de análise.

Para aprender a fazer seus próprios estudos, sem ficar dependendo de pessoas que fazem recomendações e elaboram listas, recomendo que você aprenda sobre análise fundamentalista. Você também pode montar uma carteira de ações estudando sobre ETFs.

Recomendo a leitura de dois livros: Como Investir na Bolsa: Análise Fundamentalista e o livro Como Investir na Bolsa: Análise Técnica. Conheça todos os nossos livros sobre investimentos visitando aqui.

Inscreva-se para receber nossos artigos por e-mail gratuitamente.