Use essa calculadora online para descobrir o seu Patrimônio Líquido. O acompanhamento anual do seu patrimônio líquido pessoal ajuda a identificar se você está enriquecendo ou empobrecendo no decorrer dos anos. Mas o que é o seu patrimônio líquido pessoal? Leia o artigo na parte inferior da calculadora e saiba como a usar. Os campos amarelos podem ser editados.

O que é o seu patrimônio líquido?

O seu patrimônio líquido é tudo que sobra de valor quando você desconta os seus passivos dos seus ativos. Os passivos representam tudo que você deve. Os ativos representam o dinheiro que você conseguiu poupar, seus investimentos e todos os bens de valor que possam ser transformados em dinheiro.  Se você calcular o seu patrimônio líquido todos os anos terá uma ideia sobre o seu processo de enriquecimento ou empobrecimento.

Como o patrimônio líquido é calculado?

Para calcular o seu patrimônio líquido, primeiro você deve identificar o valor atual de todos os seus bens e dívidas. Isso é equivalente a fazer um inventário.

Exemplo: você pode ter um imóvel financiado de hoje vale R$ 400.000,00 (ativo) mas tem uma dívida de R$ 350.000,00 no banco que o financiou (passivo). Isso significa que esse imóvel só adiciona R$ 50 mil no seu patrimônio líquido, pois na prática o imóvel não é totalmente seu.

Muitas vezes as pessoas acham que possuem muitos bens, quando na verdade possuem muitas dívidas. Os bens só serão da pessoa quando forem quitados.

Você provavelmente conhece alguém que aparenta ter muito patrimônio, mas quando essa pessoa fala sobre sua situação financeira você percebe que ela tem muitas dívidas, pois tudo que ganha só serve para pagar prestações.

No exemplo acima, se você fez uma dívida de R$ 50.000,00 para comprar um carro zero km, provavelmente você saiu da concessionária com seu patrimônio líquido menor, já que os veículos perdem valor assim que saem das concessionárias. Certamente sua dívida será maior do que o preço do carro. No exemplo temos uma dívida de R$ 70.000,00 para um carro que vale R$ 50.000,00, se fosse vendido usado. Dessa forma, um carro zero produz passivos maiores que ativos, reduzindo o seu patrimônio líquido. É claro que existem situações em que o carro pode ser uma fonte de renda e nesse caso faz sentido criar o passivo que será pago pelo trabalho feito com o veículo.

Podemos pensar da mesma forma com relação aos imóveis. Os imóveis podem gerar renda quando são alugados e essa renda pode aumentar seus ativos. Imóveis, ao contrário do que ocorre com os carros, podem valorizar com o tempo e essa valorização faz aumentar seus ativos. Imóveis também podem servir apenas para gerar passivos (dívidas).

Investimentos financeiros como títulos públicos, títulos privados (CDB, LCI, LCA etc), ações, ETFs, fundos imobiliários entre outros, são bens que podem gerar renda e ganho de capital. Essa renda pode ser usada para aumentar os seus ativos que geram renda, como mostro nos meus livros sobre investimentos.

O fato é que bons ativos podem gerar receitas. Essas receitas podem ser utilizadas para comprar mais ativos que geram receitas. Isso cria um ciclo de riqueza como representei na figura abaixo. As setas representam um fluxo de dinheiro. O conjunto de ativos e passivos representa o total do seu patrimônio e o patrimônio líquido é apenas o que sobra quando descontamos os passivos dos ativos.

Passivos (dívidas) geralmente só servem para gerar despesas que por sua vez podem gerar mais passivos geradores de despesas (taxas, juros, prestações). Alguns passivos podem gerar receitas, como quando você compra um imóvel financiado para gerar receitas através dos aluguéis ou uma atividade comercial, como mostro no livro sobre como investir em imóveis. Devemos evitar passivos que geram mais passivos, pois esses criam um ciclo de pobreza.

O que geralmente faz seu patrimônio líquido crescer é a compra de ativos que se valorizam com o tempo ou que geram renda. O que reduz o seu patrimônio líquido é o acúmulo de passivos, especialmente os passivos que geram mais despesas e consequentemente mais passivos.

Basicamente, a fórmula do patrimônio líquido é:

 PATRIMÔNIO LÍQUIDO = ATIVOS – PASSIVO

Perceba que na calculadora que temos no início do artigo, a renda do seu trabalho ou outras formas de renda não fazem parte do seu patrimônio líquido. Transformar sua renda em ativos ou passivos é uma escolha de cada um. As pessoas podem ter um excelente salário mensal e zero patrimônio líquido, pois elas podem gastar tudo que ganham e ainda podem fazer mais dívidas do que acumular patrimônio.

São as escolhas que você faz no momento de gastar a sua renda que podem gerar mais ativos do que passivos, aumentando ou diminuindo seu patrimônio líquido no decorrer do tempo. Existem ativos que perdem valor e ativos que ganham valor com o tempo e isso faz muita diferença no crescimento do seu patrimônio líquido.

O que são ativos e passivos?

Acho que isso já ficou claro, mas vamos consolidar:

Ativos: seus ativos são dinheiro ou coisas valem dinheiro. O dinheiro que está na sua conta é um ativo. Sua poupança, títulos públicos, títulos privados, cotas de fundos, ações, ETFs, fundos imobiliários são exemplos de ativos. Também são seus ativos qualquer objeto que você possa vender e transformar em dinheiro como imóveis e veículos. Se você tem uma empresa, ela é um ativo. Qualquer coisa de valor que pode ser vendido é um ativo.

Passivos: qualquer dinheiro que você deve a outra pessoa, empresa ou governo se enquadra nessa categoria de passivos. Isso inclui dívidas no cartão de crédito, consignados, empréstimos que você pegou com seus parentes e bancos. Os impostos, prestações de imóveis e veículos, compras parceladas também são seus passivos.

Resultados da calculadora

No campo “Patrimônio Líquido” a calculadora vai mostrar o que sobra quando você desconta tudo que você deve (passivo) de tudo que você tem (ativo). No exemplo que está preenchido temos uma pessoa com patrimônio líquido de R$ 83 mil.

O campo Liquidez divide seus ativos pelos seus passivos. Esse indicador diz se você tem ativos suficientes para pagar seus passivos. Se o número for igual ou maior que 1, seus ativos são suficientes para pagar seus passivos. Se fosse igual a 2, você teria 2 vezes mais ativos do que passivos e isso será bom (quanto maior for a sua liquidez melhor será). Já se o resultado for menor que 1, você não terá liquidez e, se for necessário, você não vai conseguir pagar seus passivos. Isso se torna muito grave quando você perde a sua fonte de renda (como é o caso de uma demissão). Também é ruim quando você morre e deixa mais passivos do que ativos para seus familiares, pois a herança distribuída é sempre formada de ativos e passivos. Se a sua liquidez tem um número 0,xx ou seja, se ela é menor do que zero, você precisa se esforçar para reduzir os seus passivos. Uma liquidez 0,50 significa que seus ativos só pagam metade de tudo que você deve. No nosso exemplo a liquidez é 1,19, ou seja, a pessoa tem 1,19 vezes mais ativos do que passivos.

Por fim temos um indicador que representa passivos divididos pelo patrimônio líquido. Sabemos que o patrimônio líquido é a parte do nosso patrimônio que podemos “chamar de nosso patrimônio”, pois ele exclui a parte do nosso patrimônio que pertence aos nossos credores (bancos e outros que nos forneceram empréstimos). Se esse indicador fosse igual a 1 você saberia que somente o seu patrimônio líquido já seria suficiente para quitar sua dívida. Se fosse igual a 0,50 você saberia que metade do seu patrimônio líquido seria suficiente para pagar sua dívida. Podemos dizer que é interessante ter esse indicador entre 1 e 0. No exemplo acima o número 5,14 nos diz nosso passivo é 5,14 vezes maior que o nosso patrimônio líquido, ou seja, essa pessoa tem mais passivo do que patrimônio líquido. Se o seu amigo tem o indicador igual a 10 isso significa que o passivo dele é dez vezes maior que o patrimônio líquido.

Acompanhe e compare a evolução do seu patrimônio líquido

É importante que pelo menos uma vez por ano você avalie tudo que você tem de valor e tudo que você deve para calcular qual é a sua verdadeira riqueza acumulada.

Quando você compara o resultado de um ano para o outro tem condições de avaliar se está literalmente enriquecendo ou empobrecendo.

Nos EUA, Federal Reserve, que seria o equivalente ao Banco Central no Brasil, faz uma pesquisa chamada Survey of Consumer Finances onde eles avaliam a situação financeira das famílias. Uma dessas avaliações é a evolução do patrimônio líquido (fonte).

Não sei se o governo brasileiro divulga esse tipo de informação, então vamos usar como exemplo esses dados dos EUA para motivar você a fazer algumas reflexões com relação a sua renda e seu patrimônio líquido, sua idade e seu patrimônio líquido, sua educação e patrimônio.

Podemos ver no exemplo que entre 2016 e 2019 o patrimônio líquido das famílias americanas com renda anual de $ 20 mil dólares passou de $ 7.100 para $ 9.800 dólares. Ocorreu um aumento do patrimônio líquido dessas famílias de 37% nesse período.

Qual foi a variação do seu patrimônio líquido nos últimos anos? Ele foi positivo ou negativo?

Também podemos perceber que o patrimônio líquido de algumas famílias que ganham mais diminuiu nos últimos anos. Isso certamente se deve ao aumento das dívidas. Isso também acontece no Brasil. Quem ganha mais tem mais facilidade para se endividar, já que os bancos consideram a renda das famílias para definir quanto podem emprestar. Quem tem mais renda e quem tem mais patrimônio, como imóveis e investimentos, também recebe mais oferta de empréstimos e financiamentos.

Você pode constatar isso quando observa a situação financeira dos servidores públicos, principalmente os que ganham mais. Muitos deles vivem endividados. Por terem maior estabilidade no emprego, muitos bancos e financeiras disputam esses clientes oferecendo consignados, empréstimos e financiamentos. Quem ganha mais precisa ter muito cuidado para construir um enorme passivo, quando poderia construir um enorme ativo.

Aqui podemos ver algo que certamente acontece no Brasil. Quanto maior a idade, maior tende a ser o patrimônio líquido. Geralmente as pessoas ganham mais quando completam entre 35 e 44 anos, pois estão atingindo níveis elevados em suas carreiras.

Pessoas que investiram mais tempo na educação formal tendem a ter um patrimônio líquido maior, pois conseguem uma renda maior. Eu acredito que quem investe mais em educação financeira também consegue acumular um patrimônio líquido maior durante a vida devido ao conhecimento necessário para investir e gerar receitas através dos investimentos e não somente através do trabalho remunerado. Esse tipo de informação que você está acessando agora deveria ser ensinado nas escolas.

Livro recomendado: Independência Financeira (clique para conhecer). Conheça todos os nossos livros sobre investimentos visitando aqui.

Inscreva-se para receber nossos artigos por e-mail gratuitamente.