Estamos nos aproximando da Black Friday que é um evento muito aguardado por uns e muito criticado por outros. Existem vários argumentos relacionados com questões envolvendo o consumismo e com o próprio capitalismo.

Então resolvi escrever um artigo sobre essa questão do consumismo x capitalismo, especialmente com relação ao comportamento das pessoas consumistas e capitalistas. Elas se complementam e você pode escolher de qual lado deseja estar.

Podemos dividir as pessoas em dois grupos de acordo com a forma como lidam com o próprio dinheiro.

De um lado temos um grande grupo de pessoas que consomem tudo que ganham. Muitas vezes fazendo dívidas para que possam consumir mais do que ganham, mesmo que isso limite o consumo no futuro devido ao pagamento de prestações e juros. Podemos chamar essas pessoas de consumistas.

Do outro lado temos algumas poucas pessoas que consomem só uma parte do que ganham para que possam capitalizar, mesmo que isso limite o consumo no presente, devido aos investimentos que fazem para receberem juros. Podemos chamar essas pessoas de capitalistas.

Capitalizar significa literalmente juntar dinheiro ou equivalente a dinheiro. Se você está juntando dinheiro, acumulando bens de valor ou bens que fazem o seu patrimônio crescer com o objetivo de ter um futuro mais próspero, você é um capitalista, mesmo que seja um pequeno capitalista.

Geralmente as pessoas escondem quanto ganham, poupam e investem. É muito comum entre as pessoas que conseguiram acumular um bom patrimônio sentirem vergonha por isso, as vezes até possuem um sentimento injustificado de culpa pelo sucesso financeiro.

O mesmo tipo de vergonha não existe entre os consumistas. Os mais consumistas adoram falar sobre o que compraram e sobre o que pretendem comprar. Tiram até fotos comprando e depois que compram para exibir na internet. As pessoas se orgulham quando mostram para as outras que compraram bens caros ou desejados. Algumas pessoas até se orgulham e gostam de falar sobre as enormes faturas que pagam no cartão de crédito e sobre as dívidas de financiamentos de carros e imóveis.

Já recebi e-mails de leitores que sofrem críticas de amigos e parentes por estarem tentando consumir menos para poder poupar e investir mais. Geralmente são consumistas criticando pequenos capitalistas que ainda não aprenderam que devem capitalizar em silêncio.

Agora é interessante entender a relação que existe entre o capitalista e o consumista.

Geralmente o que o capitalista faz com o dinheiro que capitaliza ajuda o consumista a manter o seu estilo de vida. Já o que o consumista faz com o dinheiro, ajuda o capitalista a construir um novo estilo de vida.

E antes e dar alguns exemplos quero deixar claro que não existe nada errado. Os dois se complementam.

Vamos ver alguns exemplos? Imagine um consumista. Tudo que ele ganha é gasto mensalmente com todas as coisas que ele precisa e gosta de fazer com o dinheiro. O problema é que ao gastar tudo que ganha falta dinheiro para realizar grandes objetivos. Ele recorre aos bancos para ter um empréstimo ou um financiamento para realizar esse grande sonho. O dinheiro que o banco empresta para o consumista é exatamente o mesmo dinheiro que os clientes capitalistas do banco aplicaram em CDB, LCI, LCA, poupança e outras modalidades de investimento.

Os bancos ganham dinheiro ficando no meio das relações entre consumistas e capitalistas.

O consumista aceita pagar juros para ficar com o dinheiro do capitalista temporariamente. O capitalista aceita receber juros para ficar sem o próprio dinheiro temporariamente. Um paga juros e o outro ganha juros.

O banco cobra juros maiores dos consumistas e paga juros menores para os capitalistas para assumir os riscos, já que o banco é que se torna o devedor do capitalista e o credor do consumista. Ele assume a responsabilidade e o risco.

Em um evento como a Black Friday, capitalistas e consumistas estão em lados opostos.

Vamos entender melhor com exemplos.

O consumista vai utilizar o dinheiro que pegou emprestado no banco ou na financeira para fazer compras na Black Friday. Os bancos e as financeiras oferecem empréstimo, crédito e parcelamentos de compras emprestando o dinheiro dos clientes que acumulam capital no banco (capitalistas).

Esse consumista vai visitar lojas que possuem ações listadas na bolsa e que fazem parte da carteira de ações dos capitalistas. Existem muitas empresas do varejo na bolsa em diversos segmentos como eletrodomésticos, vestuário etc.

O capitalista vai ganhar juros, por ter sido ele que emprestou o dinheiro para os bancos e financeiras quando fez um investimento de renda fixa (exemplo: CDB e LC). O capitalista também vai receber os dividendos e os ganhos de capital das ações que ele comprou aos poucos no passado, com o dinheiro a parte do dinheiro que ganhou e resolveu investir.

É possível que o consumista tenha esperado o ano inteiro para comprar o que desejava com desconto na  Black Friday ou parcelado em muitas vezes.

O capitalista também gosta de fazer compras, mas ele terá o ano todo para comprar aquilo que deseja sem precisar esperar a Black Friday e sem precisar tirar dinheiro do bolso. Através dos juros, dividendos e ganhos de capital que ele receberá dos seus investimentos, ele poderá realizar as compras que desejar.

Existem outras relações entre consumistas e capitalistas.

Muitas vezes os consumistas trabalham nas empresas que fazem parte da carteira de ações dos capitalistas. O consumista vai trabalhar para receber uma renda fixa (salário) e o capitalista vai apenas receber dividendos e ganho de capital. Quem trabalha para o capitalista é o dinheiro que ele investiu na empresa.

Muitas vezes os consumistas pagam aluguéis para os capitalistas. É comum em muitos países a pessoa juntar dinheiro durante a vida para comprar ou construir imóveis que geram renda através dos aluguéis na aposentadoria. É um investimento em imóveis muito comum.

O consumista que mora em um imóvel financiado, certamente está pagando juros para os bancos que remuneram os capitalistas que investiram em LCI ou na poupança.

As parcelas que os consumistas pagam nas prestações dos carros financiados também remuneram os capitalistas que investem em renda fixa (CDB).

Agora é importante entender que, nos dias de hoje, qualquer pessoa pode ser capitalista, caso queira.

Para se capitalizar (juntar dinheiro e bens que geram dinheiro) você provavelmente precisa ganhar mais.

Existem conhecimentos e habilidades profissionais que são mais valiosas do que outras. Felizmente nunca foi tão fácil e barato adquirir conhecimentos profissionais quanto agora. Se você está lendo esse artigo na internet, você já tem as ferramentas para dominar qualquer conhecimento. Basta querer.

Depois é uma questão da adquirir o hábito de poupar (gastar menos do que se ganha) e o conhecimento necessário para investir o dinheiro salvo do consumismo.

Tudo isso também vai exigir paciência, já que pode demorar muito tempo para se acumular capital.

Perceba que tudo que você não tem hoje está relacionado com coisas que ainda precisa aprender.

Com paciência e um pouco de dedicação qualquer pessoa pode aprender a investir através da renda fixa ou da renda variável.

As pessoas podem se tornar sócias das maiores empresas do Brasil. Também podem aprender a investir no exterior onde encontramos as maiores empresas do mundo que oferecem produtos e serviços para consumistas de todos os países.

Ser consumista ou capitalista é uma escolha. Não existe o certo ou o errado. Está tudo certo.

A única coisa errada é você não entender a sua escolha. Toda escolha tem o seu preço (custos). Ser consumista tem seus ganhos e seus custos. Ser capitalista tem seus ganhos e seus custos. Encontrar um equilíbrio entre os dois também é uma escolha.

Agora perceba uma coisa…

Não existiriam empresas, produtos, serviços, empréstimos, financiamentos, Black Friday e a sociedade como conhecemos hoje se não existissem pessoas que acumulam capital e bens que geram capital, ou seja, capitalistas.

A vida dos consumistas sem os capitalistas seria difícil, assim como a vida dos capitalistas sem os consumistas seria menos fácil.

Inclusive, não espere que um capitalista estimule você a ser capitalista. Seria contraproducente, ou seja, produziria resultado oposto ao que beneficia o capitalista. Bom para quem acumula capital é que as pessoas realmente gastem tudo que ganham e ainda solicitem empréstimos para que possam gastar tudo que podem ganhar no futuro.

Os governos e seus políticos também preferem os consumistas. Você já deve ter percebido que os políticos costumam atacar as pessoas que poupam, investem e empreendem. São chamados de rentistas, especuladores ou capitalistas mesmo, já que a palavra ganhou sentido pejorativo. Os políticos preferem os consumistas, pois eles pagam mais impostos. São tributados quando recebem a renda, são tributados quando fazem as compras e quando fazem empréstimos para consumir mais.

Os governos dependem dos capitalistas. São as empresas, que são investimentos de capitalistas, que produzem e vendem produtos e serviços que geram lucros, ganhos de capital e salários para serem tributados. Se nada fosse produzido e vendido, nada seria tributado.

Os próprios governos não existiriam sem pessoas e empresas acumulando capital. Os governos, onde as pessoas são livres, são mantidos por cobranças de impostos. Quando os impostos são insuficientes, os governos emitem dívida através da venda de títulos públicos. Mais uma vez são as pessoas que acumulam capital que compram esses títulos.

Então como seria o mundo se só existissem consumistas? 

Imagine um mundo onde ninguém acumula nada. Todas as pessoas consomem tudo que produzem.

Ninguém produz nada em excesso para fazer trocas ou comércio. Ninguém acumula nada que possa ser alugado ou vendido. Nesse mundo não existem empresas.

Perceba que não existiriam empréstimos, financiamentos, produtos, serviços e os empregos oferecidos por empresas. As empresas são investimentos, são o conjunto de bens e capitais de pessoas que investiram nessa empresa.

Então como era o mundo quando as pessoas só trabalhavam para o próprio consumo? O mundo era muito parecido com isso aqui:

A evolução continua…

Neste momento existem diversas empresas, especialmente no exterior, que possuem capital aberto (ações negociadas na bolsa), que estão investindo dinheiro de pequenos e grandes capitalistas para a construção do futuro. Se você está consumindo e se endividando, você está fazendo a sua parte desse processo. Se além de consumir você está acumulando capital e investindo, você também faz parte do processo e será remunerado(a) por isso.

Receba um aviso por e-mail sempre que novos artigos forem publicados aqui Clube dos Poupadores. Inscreva seu e-mail aqui.

Livros do Clube dos Poupadores

Aprenda a investir o seu próprio dinheiro e nunca mais dependa das recomendações, opiniões e influências de terceiros. Torne-se um investidor (investidora) livre, consciente e independente. Adquira e baixe os livros agora mesmo:

Clique para conhecer o livro Independência Financeira
Clique para conhecer o livro Como Investir em CDB, LCI e LCA
Clique para conhecer o livro Como Investir na Bolsa por Análise Fundamentalista
Clique para conhecer o livro sobre Carteiras de Investimentos
Clique para conhecer o livro Como Investir em Títulos Públicos
Clique para conhecer o livro sobre Como Investir na Bolsa por Análise Técnica
Clique para conhecer o livro Como Investir em ETF
Clique para conhecer o Livro Como Investir no Exterior