Esse experimento nos fala sobre como nos deixamos influenciar pelas pessoas, dentro e fora das redes sociais, no momento de investir, comprar e decidir sobre qualquer questão.

É um alerta para que você tenha mais cuidado com as pessoas que você segue, convive e permite exercer influência sobre as suas decisões.

Os experimentos de conformidade de Asch foram uma série de experimentos realizados em 1951 por Solomon Asch, que demonstraram o perigoso poder da conformidade nos grupos.

O experimento de conformidade de Asch foi conduzido usando 123 participantes do sexo masculino que foram informados de que seriam parte de um experimento em julgamento visual.

Cada sujeito foi colocado em um grupo com 5 a 7 pessoas que conheciam os verdadeiros objetivos do experimento, mas foram apresentados como participantes comuns como o ingênuo participante “real”, ou seja, somente uma pessoa achava que se tratava de um experimento de julgamento visual, todas as outras eram como “atores”.

Ao grupo foi mostrado um cartão com uma linha, seguido por outro cartão com três linhas nos rótulos 1, 2 e 3.

Os participantes foram convidados a dizer qual linha correspondia ao comprimento da linha no primeiro cartão (quais eram iguais). Cada uma dessas questões foi chamada de “julgamento”.

O participante “real” respondeu por último ou penúltimo. Nos dois primeiros ensaios, o sujeito se sentiria à vontade no experimento, pois ele e os outros “participantes” deram a resposta óbvia e correta.

No entanto, após o quarto julgamento, todos os participantes respondem com a resposta claramente errada em certos pontos, de modo que em 12 dos 18 julgamentos todos deram a resposta errada.

Os 12 julgamentos em que os participantes responderam incorretamente foram os “julgamentos críticos”. O participante poderia, assim, ignorar a maioria e seguir com seus próprios sentidos ou poderia ir junto com a maioria e ignorar o fato claramente óbvio.

O objetivo era ver se o participante real mudaria sua resposta e responderia da mesma maneira que os outros participantes ou seguiria o que seus olhos lhe diziam claramente.

Asch descobriu que cerca de 1/4 de todos os indivíduos resistem com sucesso a essa forma de pressão social, 1/20 sucumbe completamente (a minoria), enquanto o restante se conforma à opinião manifestamente incorreta da maioria apenas em algumas rodadas experimentais.

Asch sugeriu que esse procedimento criou uma dúvida na mente dos participantes sobre a resposta aparentemente óbvia. Os participantes relataram que a linha correta, mas rejeitada, era quase, mas não totalmente, igual à linha padrão.

Asch também descobriu que a eficácia da pressão do grupo aumentou significativamente de 1 para 3 pessoas, respondendo por unanimidade incorretamente. No entanto, não houve muito aumento depois disso. Ele também descobriu que quando um participante respondeu corretamente, o poder da maioria de influenciar o assunto diminuiu substancialmente.

O experimento mostra o poder das pessoas próximas nas suas decisões e opiniões sobre a realidade. Essas pessoas podem ser parentes, amigos, conhecidos e até os desconhecidos que você segue através das redes sociais.

Tenha muito cuidado com os efeitos da conformidade nas suas decisões sobre consumo e investimentos.

Se você não concorda com o que a maioria das pessoas estão falando ou fazendo, por não fazer qualquer sentido, talvez você esteja certo(a) em não concordar.

Receba atualizações semanais sobre novos artigos publicados: Inscreva seu e-mail aqui.

Apoie o Clube dos Poupadores investindo na sua educação financeira. Clique sobre os livros para conhecer e adquirir:

Clique para conhecer o livro Independência Financeira
Clique para conhecer o livro Como Investir em CDB, LCI e LCA
Clique para conhecer o livro Como Investir na Bolsa por Análise Fundamentalista
Clique para conhecer o livro sobre Carteiras de Investimentos
Clique para conhecer o livro Como Investir em Títulos Públicos
Clique para conhecer o livro sobre Como Investir na Bolsa por Análise Técnica
Clique para conhecer o livro Como Investir em ETF
Clique para conhecer o Livro Como Investir no Exterior