Um levantamento da ONU mostrou que o 1% mais rico da população mundial detém cerca de 40% dos bens globais, enquanto a metade mais pobre é dona de apenas 1% (fonte).

Muitas pessoas ricas nasceram em famílias pobres ou de classe média e ao longo da vida acabam formando grandes fortunas, mas também temos aquelas que já nasceram ricas por serem filhas ou netas de pessoas que tiveram um inicio humilde e aos poucos foram construindo fortunas que se propagam até hoje entre os seus descendentes.

A grande pergunta é: “Será que existe alguma coisa que os mais ricos sabem que os mais pobres desconhecem?”

Considerando que você leu o artigo “Como parar de reclamar“, já deve ter entendido que ninguém melhorou sua vida financeira reclamando do sucesso financeiro dos outros. A reclamação faz você perder um preciso tempo e muita energia que poderia ser úteis na busca de soluções para melhorar a sua vida.

Então…

  • Será que o segredo está no comportamento de uma minoria das pessoas pessoas diante do trabalho, do dinheiro e da capacidade de identificar oportunidades (educação)?
  • Será que as pessoas não conseguem poupar, investir e empreender porque falta conhecimentos básicos como matemática financeira, conhecimentos para organizar suas finanças, fazer orçamento familiar evitar dívidas, poupar e fazer investimentos pensando no futuro?

Mas será que se fosse apenas falta de conhecimento isso já não teria sido resolvido no mundo inteiro? Se você já leu algum livro sobre educação financeira, já percebeu que o foco de muitos autores esta no controle de despesas, matemática e planilhas.

Eu acredito que estas ferramentas são muito úteis, mas só servem para remediar o problema. A origem do desequilíbrio financeiro ou da falta de crescimento está nos nossos hábitos, nas nossas crenças e nos nossos valores. E isto você só conserta com outro tipo de educação.

Existem muitas pesquisas sobre o tema. Já se comprovou que as pessoas bem sucedidas financeiramente possuem hábitos diferentes que colaboram com seu sucesso profissional e a construção de riqueza. Já as pessoas de classe média e as mais pobres possuem hábitos que contribuem para a manutenção do seu estado financeiro.

Usar o tempo com qualidade enriquece

Um autor chamado Thomas C. Corley é um estudioso dos hábitos das pessoas mais ricas e das pessoas mais pobres (veja os livros dele). Ele descobriu coisas muito interessantes que vou compartilhar com você agora.

Thomas fez um estudo com centenas de pessoas bem sucedidas para descobrir o que cada um fazia de diferente no seu dia a dia e que interferia na sua situação financeira. Segundo ele, nossos hábitos diários interferem diretamente no nosso sucesso. Veja abaixo alguns hábitos identificados pela pesquisa do autor:

  • 81% dos ricos mantêm uma lista de tarefas contra 19% dos pobres.
  • 67% dos ricos anotam seus objetivos contra 17% dos pobres.
  • 88% dos ricos leem 30 minutos ou mais por dia por razões de educação ou carreira contra 2% dos pobres.
  • 6% dos ricos compartilham com os outros o que estão pensando contra 69% dos pobres.
  • 67% dos ricos assistem uma hora ou menos de TV todos os dias contra 23% dos pobres.
  • 6% dos ricos assistem reality show contra 78% dos pobres.
  • 44% dos ricos acordam três horas antes do início do trabalho contra 3% dos pobres.
  • 86% dos ricos dizem gostar de ler contra 26% dos pobres.

Para efeitos de seu estudo, “rico” é definido como tendo pelo menos US $ 160.000 em renda anual e US $ 3,2 milhões em ativos. Se US$ 1 valesse R$ 5 seriam R$ 800,000 por ano ou R$ 66.666,00 por mês e um patrimônio de R$ 16 milhões. Já a pessoa pobre, nos padrões do autor, seria aquela que ganha até US$ 30 mil em renda anual com pelo menos US$ 5 mil em ativos ou R$ R$ 150.000,00 por ano que equivale a R$ 12.500,00 por mês.

O percentual de pessoas ricas que investem tempo assistindo a vida dos outros em programas de reality show é bem pequena. Provavelmente também se ocupam menos de preocupações com a vida de artistas, cantores, esportistas, políticos e outros que não tem qualquer relação com a sua própria vida e objetivos.

São pessoas que possuem seus objetivos e estão focadas neles. Elas criam listas de tarefas e perdem menos tempo fazendo coisas sem importância. Elas se dispersam menos. São pessoas que aproveitam melhor as 24 horas de tempo que possuem para fazer coisas importantes para seu desenvolvimento pessoal e profissional. O autor também percebeu que as pessoas são mais bem sucedidas quando dedicam mais tempo para a leitura, estudo e ampliam sua rede de contatos profissionais.

Você precisa ser diferente

Se os hábitos dos mais ricos é adotado pela minoria das pessoas isso significa que você precisa ser diferente da maioria.

As pessoas que dedicam mais tempo consumindo informações e conhecimentos úteis conseguem enxergar oportunidades que as outras não conseguem por pura falta de preparo.

Quanto mais estudam, mais seus valores, comportamentos e seus hábitos começam a se distanciar do senso comum.

Não é porque todo mundo faz alguma coisa de uma determinada forma ou tem as mesmas opiniões que isto está alinhado com os seus objetivos de crescimento pessoal, profissional e financeiro.

Quando você começar a mudar seus hábitos não tenha dúvida de que todas as outras pessoas vão começar a te criticar e questionar. Isso funciona assim desde o tempo das cavernas. O bom é que sempre existe uma minoria que não escuta o que os outros dizem.

Exatamente essa pequena minoria que acaba conquistando aquilo que a maioria não conquista. Não importa sua profissão. Quando você esta comprometido em fazer bem feito, superar as pessoas comuns, entregar valor e qualidade em tudo que faz na sua profissão e na sua vida pessoal, o reconhecimento e os resultados positivos na sua vida financeira são inevitáveis.

Quando você desenvolve o hábito de poupar parte do que você ganha, reinvestindo uma parte em você (adquirindo mais conhecimento para melhorar sua renda) e investindo parte para obter mais renda (investimentos), os resultados positivos e diferentes do que a maioria colhe serão inevitáveis.

Gosto muito do exemplo do pipoqueiro empreendedor. Quantos vendedores de pipoca humildes você já encontrou nas ruas da sua cidade? Aparentemente vender pipoca não deixa ninguém em boa situação financeira. Mas as coisas são diferentes quando o pipoqueiro é uma pessoa que pensa diferente dos outros pipoqueiros.

Pipoca é o negócio mais lucrativo do mundo

Pesquisas mostram que vender pipoca é o negócio lícito mais lucrativo do mundo. Os lucros podem chegar até 10.000% em cada panela de pipoca. Isso acontece por um motivo simples. Você compra pipoca por quilo e vende por volume depois de estourar as pipocas. São poucos os produtos no mundo onde você compra a matéria prima pelo peso e vende pelo volume. Ainda existem tipos de milho especialmente desenvolvidos para proporcionar a pipoca mais volumosa possível. Os cinemas de todo mundo lucram mais vendendo pipoca do que ingressos. Na verdade exibir o filme é apenas uma forma de atrair pessoas para comer pipoca.

Mesmo sendo o negócio mais lucrativo do mundo é difícil ver um pipoqueiro de sucesso. O problema é que para vender a pipoca você precisa fazer isto de uma forma diferente, como os donos dos cinemas fazem. O segredo não está na venda da pipoca mas no valor que você vai agregar na sua pipoca para que ela se torne uma pipoca diferente e especial. Aqui está a grande fonte de riqueza que os donos de todas as grandes marcas entendem perfeitamente.

O que poucos entendem é que não desenvolvemos valor somente na marca dos produtos. Como profissionais devemos desenvolver o nosso nome como se fosse uma marca de qualidade e profissionalismo para ter sucesso profissional e por consequência o sucesso financeiro.

No vídeo acima temos um pipoqueiro diferente. O vídeo é de 2009 e ele já estava preocupado com a higiene e a qualidade dos seus produtos. Hoje esse pipoqueiro é um grande palestrante e participa de eventos em grandes empresas.

Eu não quero convencer você a vender pipoca. O objetivo não é este. Perceba que este é o exemplo do pipoqueiro que faz bem feito e cuida da qualidade do que faz para colher os frutos. Quantas pessoas você conhece que faz o mesmo? É a minoria e por consequência é a minoria que colhe e acumula os frutos.

Esta filosofia pode se aplicar na sua atividade profissional.

Você pode ser um profissional diferente, pode ser um empreendedor diferente, pode ser um professor, um médico, um engenheiro, um contador, um trabalhador diferente do comum.

Você pode ser o melhor naquilo que você faz. É fácil ser o melhor em um mundo onde todo mundo faz mais do mesmo. As pessoas se esforçam pouco para serem diferentes e por isto é fácil se destacar.

Receba atualizações semanais sobre novos artigos publicados: Inscreva seu e-mail aqui.

Apoie o Clube dos Poupadores investindo na sua educação financeira. Clique sobre os livros para conhecer e adquirir:

Clique para conhecer o livro Independência Financeira
Clique para conhecer o livro Como Investir em CDB, LCI e LCA
Clique para conhecer o livro Como Investir na Bolsa por Análise Fundamentalista
Clique para conhecer o livro sobre Carteiras de Investimentos
Clique para conhecer o livro Como Investir em Títulos Públicos
Clique para conhecer o livro sobre Como Investir na Bolsa por Análise Técnica
Clique para conhecer o livro Como Investir em ETF
Clique para conhecer o Livro Como Investir no Exterior