O Tesouro Prefixado é um título público que remunera o investidor através de  juros fixos em uma data de vencimento. Ele é emitido pelo Tesouro Direto (B3 e o Tesouro Nacional) e pode ser comprado e vendido através de corretoras e bancos.

Todo título Tesouro Prefixado vale R$ 1.000,00 na sua data de vencimento. Então, comprar um Tesouro Prefixado é equivalente a comprar um cheque pré-datado que valerá R$ 1.000,00 em uma data futura. Se você resolver vender esse cheque antecipadamente terá que aceitar o preço atual do cheque, que sofrerá mudanças diárias.

Para entender melhor, vamos imaginar que estamos em 2021 e o Tesouro Direto está oferecendo um título Tesouro Prefixado que vencerá em 2026 por R$ 669,02. A taxa de juro prometida é de 8,90% ao ano. Isso significa que esse Tesouro Prefixado valerá R$ 1.000,00 em 2026 e essa diferença entre R$ 669,02 e R$ 1.000,00 que equivale a R$ 330,98 será o juro recebido por você. Esse juro representa um ganho anual de 8,90% até 2026. Então fica fácil entender que se o título oferece juros cada vez maiores isso significa que o preço do título precisa ser cada vez menor. Já se os juros forem cada vez menores, o preço do título será cada vez maior.

Como os juros oferecidos nos Tesouros Prefixados mudam todos os dias (podem mudar mais de uma vez por dia) os preços dos títulos para a compra e venda mudam todos os dias.

Como não é possível prever o momento exato em que o Tesouro Prefixado atingirá sua maior taxa de juros e, por consequência, o seu menor preço, a compra de Tesouro Prefixado deve ser feita gradativamente. Se no vencimento todo Tesouro Prefixado valerá R$ 1.000,00 então você deve entender que a melhor compra será aquela onde você pagará o menor preço por esse título, pois isso vai garantir o maior retorno na forma de juros anuais.

No site do Tesouro Direto é possível gerar gráficos de preços e taxas dos títulos, veja aqui. Na figura abaixo temos o preço do Tesouro Prefixado 2026 desde o seu lançamento.

Podemos observar que nesse período o preço do título se aproximou de R$ 740 em dois momentos e ficou abaixo de R$ 680 em duas oportunidades.

As melhores compras ocorrem quando os preços atingem valores próximos dos menores preços registrados no passado (as mínimas históricas). Como não temos meios de saber ou prever qual será o menor preço no futuro, podemos adotar a estratégia de comprar aos poucos quando os preços atingem determinados valores que podemos estabelecer como meta.

Vamos imaginar que hoje o preço seja de R$ 670 e você faça uma pequena compra pois entende que ele já está distante de R$ 740 e não existe certeza se ele voltará para valores abaixo de R$ 620.

Depois de algumas semanas o preço cai para R$ 650 e você faz outra pequena compra. Depois o preço se aproxima de R$ 620 e você realiza uma nova pequena compra e assim por diante.

Na impossibilidade de saber qual o menor preço que o título pode atingir, as compras podem ser graduais sabendo que no vencimento todos os títulos comprados terão valor de R$ 1.000,00.

Veja que a compra do Tesouro Prefixado não deixa de ser uma aposta. Não existe nada errado na aposta quando você entende em que está apostando.

No caso do Tesouro Prefixado a aposta é a de que o mercado está exagerando nas expectativas de inflação e juros elevados no futuro.

O gráfico acima mostra as taxas de juros do mesmo Tesouro Prefixado 2026. Quanto maior a taxa, menor o preço do título. Quanto menor a taxa, maior o preço do título.

Você pode considerar essas taxas como as expectativas do mercado sobre qual será a inflação no futuro + um prêmio pelo risco, ou seja, na taxa de um Tesouro Prefixado 2026 existe uma inflação implícita + um juro como prêmio de risco. No Tesouro IPCA 2026, que paga IPCA (inflação) + uma taxa de juro fixa, podemos entender esse juro fixo com o prêmio pelo risco já separado do IPCA.

Quanto maior a expectativa de inflação, maior tende a ser essa taxa. Quanto maior a expectativa de alta da Taxa Selic no futuro, maior tende a ser a taxa. Quanto maior a expectativa de que o governo gastará mais do que arrecada, maior será taxa. Quanto a instabilidade ou incerteza política, maior a taxa. Quanto maior a expectativa de alta do dólar, maior a expectativa de inflação e maior a taxa.

Em resumo, pessimismo resulta em taxas maiores e otimismo em taxas menores.

Veja que no momento de maior incerteza durante a crise, em março de 2020, quando a pandemia foi oficialmente declarada, a taxa desse título prefixado que vence em 2026 chegou a 9%. Entre 2020 e 2021 ficou bem evidente no gráfico os fortes movimentos dos juros como consequência das incertezas sobre o futuro.

Se você acredita que o mercado está exagerando ao exigir taxas entre 8% e 9% ao ano até 2026 e se o futuro confirmar que foi um exagero, você terá nos próximos anos uma taxa fixa elevada enquanto a inflação e a Selic se mostram menores que o esperado até 2026.

O risco de uma aposta onde fixamos juros próximos de 9% através de títulos Tesouro Prefixado até 2026 seria a inflação e os juros atingindo 2 dígitos (acima de 10% ao ano) no futuro. Isso já aconteceu entre 2015 e 2016 quando a inflação passou de 10% e a Selic atingiu 14,25%. Naquele tempo, prefixados foram negociados com taxas acima de 16% ao ano.

Por ser impossível prever o futuro a compra de títulos prefixados deve ser feita aos poucos. No final de alguns anos você terá uma carteira com títulos comprados por diversos preços. Se esperar até o vencimento todos eles valerão os R$ 1.000,00 menos imposto de renda e taxas. Seu ganho dependerá do preço que pagou por cada título no passado.

Também devemos avaliar o Tesouro IPCA, principalmente quando acreditamos que a inflação no futuro será maior que a esperada ou crescente.

É importante que você entenda todos os detalhes sobre o funcionamento dos títulos públicos antes de investir.

Este artigo não é uma recomendação de investimento. O título que citei serviu apenas para ilustrar de forma prática e didática os ensinamentos sobre os títulos públicos.

Para saber mais detalhes sobre o funcionamento de cada título público leia o meu livro sobre o assunto. Ele aborda o tema do começo ao fim, do básico até o avançado.

Se você quiser aprender mais sobre investimentos e educação financeira acompanhe os artigos que escrevo semanalmente aqui no Clube dos Poupadores. Eu aviso todos os leitores inscritos quando existem novidades. Para se tornar um leitor inscrito gratuitamente basta preencher o formulário e depois confirmar sua inscrição através do e-mail que enviarei para você.

Informe o seu e-mail:

Aprenda a investir:

Livros que escrevi para ajudar você a melhorar os seus resultados financeiros:

Clique para conhecer o livro Independência Financeira
Clique para conhecer o livro Como Investir em CDB, LCI e LCA
Clique para conhecer o livro Como Investir em Títulos Públicos
Clique para conhecer o livro Como Investir na Bolsa por Análise Fundamentalista
Clique para conhecer o livro sobre Como Investir na Bolsa por Análise Técnica
Clique para conhecer o livro Como Investir em ETF
Clique para conhecer o Livro Como Investir no Exterior