Vou fazer alguns alertas sobre operações de capital protegido e COE, já que estou recebendo alguns e-mails de leitores do Clube dos Poupadores como este último aqui:

…acompanho seus artigos há vários anos. Ultimamente tenho notado que as corretoras estão oferecendo muito operações de capital protegido, nas quais se a bolsa, por exemplo, cair, a pessoa garante pelo menos o valor aplicado e se subir, o ganho fica limitado a um certo percentual. Eles insistem tanto nesse tipo de operação que parece que ganham muito com isso. Seria possível você escrever um artigo a respeito? Obrigado e parabéns pelo conteúdo do site.

Essa parte que destaquei na fala do leitor é muito importante.

Sempre que você perceber um grande esforço, do banco ou da corretora, tentando convencer você a aceitar um determinado investimento… desconfie.

Isso é o que os jovens chamam de red flag (🚩) ou bandeira vermelha, um sinal de alerta ou um sinal de perigo.

Geralmente os investimentos de capital protegido, que são ou funcionam como um COE, são montados da seguinte forma:

A corretora divide o valor investido em duas partes. A maior parte serve para proteção e a menor parte é destinada a um investimento de renda variável que pode ou não gerar algum ganho no futuro.

Essa maior parte que será a proteção do dinheiro provavelmente ficará em um investimento de renda fixa, algum título prefixado que vai devolver uma taxa de juros anual previsível. Exemplo: um título prefixado que rende 12% de juros ao ano sobre a maior parte do seu capital.

A menor parcela é aplicada em um investimento de renda variável utilizando ações ou opções de compra/venda de ações. Esse investimento pode gerar um ganho muito grande assim como pode resultar em perda total da pequena parte investida. O segredo é manter essa perda limitada de forma que o ganho que será gerado através da renda fixa possa compensá-la.

Se a operação de renda variável não der certo ela vai consumir os ganhos que você terá no investimento de renda fixa prefixada.

Nessas operações você sempre tem um nível de ganho limitado, ou seja, eles limitam o ganho se a operação der certo.

Então você deve considerar que os seus ganhos, se a operação der certo, será sempre muito menor do que você teria se tivesse realizado o investimento diretamente.

As instituições financeiras trabalham com probabilidades.

No caso do COE, os bancos e corretoras tendem a montar uma estrutura onde a probabilidade de você ganhar alguma coisa é pequena enquanto a probabilidade de você receber o seu dinheiro de volta (sem qualquer remuneração) é grande. O seu dinheiro não remunerado é o que chamam de capital protegido.

Para a instituição é como ficar com o seu dinheiro por alguns anos de forma gratuita, sem precisar remunerar você pelo dinheiro. Você receberá o dinheiro que investiu de volta sem nenhuma remuneração se der errado, e terá um ganho bem limitado se der certo.

As pessoas que ficam oferecendo esses produtos para você, recebem comissões. Recentemente fiquei sabendo da história de um agente de uma corretora que estava falando orgulhosamente sobre a venda de um COE para um investidor. Ele convenceu o cliente da corretora a investir R$ 1 milhão em um COE e por isso recebeu uma comissão de 3%, ou seja, ele ganhou R$ 30 mil e estava muito feliz. O problema é se este cliente realmente vai conseguir ganhar alguma coisa com esse COE ou receberá o dinheiro investido no final (capital protegido) sem qualquer remuneração pelo tempo aplicado neste investimento. Na prática, o cliente terá perdido oportunidades de ganho em outros investimentos de menor risco, ou seja, no mínimo perderá o equivalente ao que é pago por títulos prefixados oferecidos pelo Tesouro ou por bancos (CDB, LCI ou LCA).

É sempre muito importante lembrar das motivações das pessoas.

Ninguém do banco ou da corretora vai gastar tempo ligando para você para oferecer o melhor investimento que existe neste momento caso ele mesmo não ganhe alguma comissão para isso. Nem sempre os investimentos com melhores comissões são os melhores investimentos.

Avalie muito bem se a oferta faz algum sentido e se a probabilidade maior não estaria em ter o seu dinheiro sem qualquer rendimento por vários anos nas mãos do banco ou da corretora.

A melhor estratégia que existe é a montagem da sua própria carteira de investimentos onde você mesmo utiliza a renda fixa para proteger a maior parte do seu patrimônio. Recomendo a leitura do livro que escrevi sobre montar e simular a sua carteira de investimentos.

Receba atualizações semanais sobre novos artigos publicados: Inscreva seu e-mail aqui.

Apoie o Clube dos Poupadores investindo na sua educação financeira. Clique sobre os livros para conhecer e adquirir:

Clique para conhecer o livro Independência Financeira
Clique para conhecer o livro Como Investir em CDB, LCI e LCA
Clique para conhecer o livro Como Investir na Bolsa por Análise Fundamentalista
Clique para conhecer o livro sobre Carteiras de Investimentos
Clique para conhecer o livro Como Investir em Títulos Públicos
Clique para conhecer o livro sobre Como Investir na Bolsa por Análise Técnica
Clique para conhecer o livro Como Investir em ETF
Clique para conhecer o Livro Como Investir no Exterior