Agora é possível investir em criptomoedas na bolsa de valores brasileira através do ETF de código HASH11. O primeiro ETF de criptomoedas do país (com início das negociações em 26/04/2021) foi criado pela gestora Hashdex (fonte) e se chama “Hashdex Nasdaq Crypto Index Fundo de Índice” e o seu site oficial fica aqui.

Os bancos envolvidos no lançamento das primeiras cotas foram o Genial, BTG Pactual e o Banco Itaú BBA. Depois do dia 26 as compras e vendas do ETF HASH11 entre investidores serão feitas através de qualquer corretora. O processo de compra e venda é idêntico ao adotado nas negociações de ações e outros ETFs.

A emissão inicial foi de 12.305.014 cotas para atender 28.358 pedidos de reserva do ETF HASH11. A gestora esperava emitir R$ 250 milhões em ETFs inicialmente, mas acabou emitindo R$ 615 milhões sinalizando que os brasileiros estão interessados em investir em criptomoedas. Quase 80% dos pedidos iniciais foram de pessoas físicas.

HASH11 investe indiretamente em criptomoedas

Ao investir no HASH11 você comprará indiretamente um outro ETF  chamado “Hashdex Nasdaq Crypto Index ETF” (HDEX.BH) constituído pela mesma gestora Hasdex (fonte). Este outro ETF é negociado nas Ilhas Cayman (um território britânico que abrange 3 ilhas na parte oeste do Mar do Caribe) em uma bolsa de valores chamada Bermuda Stock Exchange (BSX) onde o ETF é negociado em dólar bermudense (BH). Essa informação está na “composição da carteira” no decorrer dessa página aqui.

Este não é o primeiro ETF negociado no Brasil que investe em ETFs listados em bolsas de outros países. Vários ETFs funcionam dessa forma.

O IVVB11 é um exemplo de ETF negociado no Brasil que na verdade investe no ETF de código IVV que está listado nas bolsas dos EUA. O IVV investe nas 500 ações que fazem parte do índice S&P500. Elas são as principais ações negociadas nos EUA. Um brasileiro poderia investir diretamente no IVV (em dólares) através de uma conta em alguma corretora no exterior, como ensino no meu livro sobre como investir no exterior.

Na composição da carteira do HASH11 temos 100% do investimento feito no ETF HDEX.BH. Já na carteira do ETF HDEX.BH podemos ver os investimentos diretos nas criptomoedas. As proporções seguem a carteira teórica de criptomoedas do índice NCI (Nasdaq Crypto Index), administrado e atualizado pela Nasdaq que é uma das bolsas dos EUA. Índices como esses são criados para serem seguidos por ETFs e por gestores de fundos de investimentos.

As criptomoedas onde o HDEX.BH investe diretamente são: Bitcoin (BTCUSD), Ethereum (ETHUSD), Litecoin (LTCUSD), ChainLink (LINKUSD), Bitcoin Cash (BCHUSD) e Stellar (XLMUSD). Na tabela abaixo você verá que mais de 95% do valor do ETF está concentrado em Bitcoin e Ethereum. Você encontrará a carteira de criptomoedas visitando aqui. A tabela abaixo mostra qual é o peso adotado pelo índice replicado pelo ETF (fonte).

Podemos considerar que se você investir diretamente em Bitcoins e Ethereum, nessas proporções da tabela, terá um desempenho muito parecido com o do índice. A vantagem de investir diretamente está na possibilidade de definir o peso que você considera adequado.

O investimento direto em criptomoedas vem se tornando fácil e rápido. A maior corretora de criptomoedas do mundo (Binance) passou a oferecer serviços voltados para o público brasileiro com site e abertura de conta em português do Brasil (veja aqui). É possível fazer transferências em reais (R$) utilizando o PIX. A compra e venda de diversas criptomoedas pode ser feita em reais.

Como cresce o número de brasileiros que investe através dessas corretoras estrangeiras, o mercado financeiro brasileiro corre para oferecer alternativas que evitem a saída de recursos do país. É importante para a bolsa brasileira e corretoras locais que os brasileiros paguem taxas aqui no Brasil.

Taxas e Impostos

A taxa de administração do fundo é de 0,30% ao ano, que vai sendo descontado da cotação do ETF gradualmente. Como se trata de um ETF que investe em outro ETF negociado no exterior, esse outro ETF também tem sua taxa de 1% ao ano (fonte). Dessa forma, a taxa será de 1,3% ao ano.

O imposto é o mesmo para qualquer ETF negociado no Brasil. Você pagará 15% de imposto sobre qualquer ganho de capital, ou seja, sobre qualquer lucro que você tenha ao vender o ETF.

Eu recomendo que você utilize algum software para organizar e gerar os DARFs para pagamento de impostos sobre os lucros que você tiver vendendo ações, ETFs, fundos imobiliários, ADRs e outros ativos negociados na bolsa brasileira. Já escrevi um artigo falando sobre o software que utilizo, veja clicando aqui.

Vale lembrar que não existe a cobrança de IOF e come-cotas em ETFs ou em qualquer fundo negociado na bolsa.

Com relação ao imposto sobre o ganho de capital existe uma vantagem quando você compra criptomoedas diretamente (em uma corretora de criptomoedas) em relação a comprar o ETF de criptomoedas HASH11 na bolsa brasileira. Ao comprar criptomoedas diretamente em uma corretora no exterior você não precisa pagar imposto sobre o ganho de capital se o valor das vendas de criptomoedas não ultrapassar R$ 35 mil no mês. Isso também vale para outros investimentos no exterior como ações e ETFs negociados em bolsas estrangeiras por brasileiros.

Sobre a corretagem, algumas corretoras não cobram corretagem e custódia. Já a bolsa de valores cobrará a taxa de 0,03% no momento da compra e no momento da venda do ETF (fonte).

Histórico

Existe um histórico de desempenho do índice do HDEX.BH, que é o ETF do exterior onde o HASH11 fará os investimentos. É importante observar que esse desempenho é em dólares bermudenses que é uma moeda atrelada ao dólar americano (1 dólar bermudense vale 1 dólar americano). O desempenho em reais deveria considerar a perda ou o ganho de valor da nossa moeda frente ao dólar. De qualquer forma, observe que se trata de um ativo com grande volatilidade em dólares (fonte). Volatilidade pode ser entendida como o risco de obter enormes ganhos e enormes perdas em um período de tempo.

Mudanças no mercado

A forma como as instituições financeiras e os reguladores do mercado enxergam as criptomoedas vem mudando. Em 2017 o presidente do JPMorgan, um dos maiores bancos do mundo, disse que o Bitcoin era uma fraude e que ficava chocado por ninguém perceber isso (fonte). Em 2021 o mesmo banco recomendava que os clientes destinassem 1% de seus investimentos para as criptomoedas (fonte).

O Morgan Stanley se tornou o primeiro banco dos EUA a oferecer fundos de investimentos que possuem criptomoedas como Bitcoin na carteira (fonte). Deutsche Bank, maior banco da Alemanha disse recentemente que Bitcoin teria se tornado importante demais para ser ignorado (fonte).

O HASH11 é mais uma nova possibilidade de investimento de elevado risco que permite ao investidor brasileiro diversificar sua carteira de investimentos.

Entende que muitos brasileiros estão abrindo contas em corretoras no exterior para negociar ações, ETFs, REITs (fundos imobiliários) e outros ativos diretamente em dólares e que o mesmo acontece com as criptomoedas através das corretoras especializadas neste tipo de ativo. Essas instituições no exterior estão investindo em sites e aplicativos direcionados para o público brasileiro. As contas são abertas com muita facilidade e sem burocracia já que tudo é feito por aplicativos. Nunca foi tão fácil transferir recursos para o exterior como nos dias de hoje.

A bolsa brasileira, as corretoras e os bancos estão “motivados” para oferecer novos produtos para os investidores brasileiros, já que a concorrência estrangeira está levando recursos do pequeno investidor brasileiro para o exterior. Esse tipo de concorrência é positiva, pois sem ela esses novos produtos não seriam oferecidos.

Cabe ao pequeno investidor estudar o funcionamento dos investimentos, seus custos, vantagens e desvantagens entre as oportunidades que o mercado oferece.

Conclusão

Tenha cautela ao investir em ativos que acabaram de ser listados na bolsa. Pessoalmente considero importante que exista algum histórico de preços para ser estudado. Não invista no que você não entende. Estude primeiro e ganhe experiência investindo valores bem pequenos.

O objetivo deste artigo não é recomendar investimentos, mas motivar você a estudar antes de investir.

As criptomoedas sofrem grandes variações nos seus preços diariamente. Elas estão em um mercado funciona 24h por dia, todos os dias da semana (incluindo feriados) e sofrem o impacto de notícias, especulações, fatos e eventos econômicos.

Para quem está começando, a quantia ideal para investir em criptomoedas ou em qualquer ativo de elevado risco e volatilidade é aquela que você aceita perder integralmente, sem que isso prejudique a sua vida financeira.

O travesseiro é a melhor ferramenta para identificar se você investiu uma quantia adequada em um ativo de grande risco. Se você colocar a sua cabeça no travesseiro e ficar pensando na cotação do ativo, você deveria destinar uma quantia menor para esse ativo.

Por último é importante destacar que o Bitcoin costuma sofrer fortes correções. Por ser a moeda de maior peso é importante acompanhar a cotação do Bitcoin em dólares para tomar decisões de investimentos neste ETF de forma que você não se assuste com as fortes movimentações que podem ocorrer. A análise técnica é uma ferramenta importante para o investimento em moedas.

Se você quiser aprender mais sobre investimentos e educação financeira acompanhe os artigos que escrevo semanalmente aqui no Clube dos Poupadores. Eu aviso todos os leitores inscritos quando existem novidades. Para se tornar um leitor inscrito gratuitamente basta preencher o formulário e depois confirmar sua inscrição através do e-mail que enviarei para você.

Informe o seu e-mail:

Aprenda a investir:

Livros que escrevi para ajudar você a melhorar os seus resultados financeiros:

Clique para conhecer o livro Independência Financeira
Clique para conhecer o livro Como Investir em CDB, LCI e LCA
Clique para conhecer o livro Como Investir em Títulos Públicos
Clique para conhecer o livro Como Investir na Bolsa por Análise Fundamentalista
Clique para conhecer o livro sobre Como Investir na Bolsa por Análise Técnica
Clique para conhecer o livro Como Investir em ETF
Clique para conhecer o Livro Como Investir no Exterior