É muito importante que você aprenda a pesquisar e analisar o desempenho dos fundos de investimento onde você investe.

No passado recente os únicos fundos de investimentos que as pessoas tinham acesso eram aqueles oferecidos por grandes bancos. Dentro dos bancos existe uma espécie de “apartheid” de clientes, ou seja, os clientes dos bancos são separados através de uma espécie de “regime de segregação financeira”.

Quem tem muito dinheiro investido no banco ou possui uma renda mensal elevada acaba sendo separado dos demais clientes. Uma das diferenças que existe até hoje entre os clientes apartados é que os de maior renda recebem a “permissão” de acessar fundos de investimentos que possuem menores taxas administrativas e maiores rentabilidades.

Isso vem mudando com o surgimento de corretoras de valores independentes dos bancos que oferecem fundos de diversas gestoras ou de gestoras independentes. Dessa forma, mesmo sem ser um cliente de alta renda ou com milhões investidos nos grandes bancos você pode acessar os fundos que esses clientes investem se possuir conta aberta em uma corretora.

Se antes você podia acessar algumas dezenas de fundos diferentes oferecidos pelo seu banco, agora você pode acessar milhares de fundos oferecidos por centenas de gestoras de fundos diferentes que até então só atendiam clientes de alta renda.

Alguns gestores desses fundos se esforçam para serem vistos como celebridades.  Eles aparecem na imprensa, Youtube e outras redes sociais comentando suas estratégias, destacando suas peripécias e resultados passados administrando centenas de milhões ou até bilhões de cotistas que muitas vezes se tornam seguidores ou fãs.

Com tantos fundos disponíveis, e tantas reportagens, influenciadores, agentes e estranhos recomendando fundos, se torna importante que você aprenda a avaliar os fundos por conta própria. Mesmo que você siga as recomendações de fundos para investir vindas de terceiros, será importante verificar você mesmo a situação do fundo.

A CVM (comissão de valores mobiliários) divulga abertamente os dados sobre todos os fundos, assim como divulga dados sobre as empresas que emitem ações. Os dados produzidos por eles são brutos, ou seja, dados em tabelas enormes que são totalmente inúteis para o pequeno investidor.

Felizmente existem alguns sites na internet que baixam esses dados, fazem todo o processamento das informações, geram gráficos e filtros para a consulta rápida e fácil de qualquer pessoa interessada. Um desses projeto que utilizo que é esse aqui. Esse endereço é a página específica onde é possível fazer buscas para gerar os relatórios de e utilizar filtros.

É claro que praticamente todos os fundos produzem seus relatórios com gráficos e dados sobre o fundo. O problema é que esses relatórios não são padronizados e isso dificulta a comparação. Utilizando um serviço que centraliza os dados sobre todos os fundos, todos os relatórios ficam padronizados e podemos comparar com mais facilidade.

Para testar visite aqui. Na parte superior da página existe um campo com a palavra “Pesquise” onde você deve digitar o nome do fundo onde já investe ou pretende investir.

Para exemplificar o artigo vamos observar os dados do fundo de ações que possui maior número de cotistas, com base na pesquisa que fiz no dia em que esse artigo foi escrito.

Não é a toa que os 5 maiores fundos de ações em número de cotistas pertencem aos três maiores bancos privados do país. Normalmente as pessoas investem em fundos oferecidos pelos gerentes dos bancos onde possuem conta. O fato de ter muitos cotistas não necessariamente significa que são os melhores fundos de ações, mas certamente são os fundos que são mais oferecidos para pessoas que provavelmente não fazem pesquisas sobre fundos de outros gestores ou bancos.

Veja um exemplo:

Logo acima você terá um exemplo de uma parte do relatório sobre o fundo pesquisado. Neste exemplo temos um fundo que é gerido por uma gestora que faz parte de um grande banco privado. Observe que por padrão nem todos os dados vão aparecer no resultado. Você deverá clicar na opção “Ver mais” para observar todos os dados.

No campo “Patrimônio Líquido” temos o total que foi aplicado pelos investidores neste fundo. No campo “Coristas” temos a informação de que o fundo possui mais de 821 mil investidores.

No campo “Classe” temos a informação de que se trata de um fundo de ações. No campo “Subclasse” ficamos sabendo que se trata de um fundo “índice ativo”, ou seja, seu objetivo é o de superar o índice que aparece no campo “Benchmark“, que no exemplo é o ibovespa ou índice Bovespa.

Podemos constatar no gráfico qual foi o desempenho do índice Bovespa (linha violeta) desde 2004. Até o dia em que esse artigo foi escrito o índice Bovespa tinha superado 412% de alta enquanto este fundo do exemplo teve metade do desempenho ou 206%. Em 192 meses o fundo só apresentou desempenho melhor que o Ibovespa 65 vezes ou 33% das vezes.

Os dados que aparecem no gráfico também podem ser estudados através de uma tabela que compara o desempenho do fundo com o índice que ele deveria superar (índice Bovespa). No exemplo acima podemos observar que em janeiro do 2019 o fundo produziu um ganho de 8,63% e isto foi -2,18 pontos percentuais menor que o desempenho do índice Bovespa naquele mês.

No lado direito da tabela temos o desempenho acumulado no ano, que no exemplo foi de 18,96%. Ele foi 4,26 pontos percentuais menor que o índice no mesmo período. No acumulado desde a criação do fundo o seu desempenho foi de 212,85% sendo 205,81 pontos percentuais menor que o índice que ele deveria superar.

Frequentemente os fundos de ações dos bancos que tem o objetivo de superar o índice costumam não atingir esse objetivo, principalmente devido a cobrança de taxas administrativas elevadas e por serem fundos muito grandes (muitos cotistas e muitos recursos investidos) com grande liquidez (neste caso é de apenas 3 dias para resgate). Essas características podem prejudicar o desempenho do fundo.

Muitos fundos de ações passivos, ou seja, que possuem como objetivo apenas seguir o índice Bovespa, sem necessariamente superá-lo, podem oferecer desempenho melhor que os fundos ativos por cobrarem taxas administrativas menores.

Para que o artigo não fique muito grande, vou escrever sobre outros recursos e funcionalidades desta e outras ferramentas em outros artigos. Também pretendo falar sobre comparações entre fundos e outras informações importantes para o pequeno investidor. Com isso eu pretendo compartilhar um pouco dos estudos que já fiz, leituras e cursos que realizei recentemente.

Existe um curso muito bom e muito acessível que ensina a analisar e comparar fundos de investimentos utilizando a mesma ferramenta de análise apresentada aqui (conheça visitando aqui). A ideia é permitir que você nunca mais dependa de ninguém para escolher um fundo ou acompanhar e comparar os fundos onde você já investe. E mesmo que você prefira receber recomendações, sempre será importante saber avaliar as recomendações recebidas.

Se você quiser aprender mais sobre investimentos e educação financeira acompanhe os artigos que escrevo semanalmente aqui no Clube dos Poupadores. Eu aviso todos os leitores inscritos quando existem novidades. Para se tornar um leitor inscrito gratuitamente basta preencher o formulário e depois confirmar sua inscrição através do e-mail que enviarei para você.

Inscreva-se para receber nossos artigos por e-mail gratuitamente.

Aprenda a investir:

Livros que escrevi para ajudar você a melhorar os seus resultados financeiros:

Clique para conhecer o livro Independência Financeira
Clique para conhecer o livro Como Investir em CDB, LCI e LCA
Clique para conhecer o livro Como Investir em Títulos Públicos
Clique para conhecer o livro Como Investir na Bolsa por Análise Fundamentalista
Clique para conhecer o livro sobre Como Investir na Bolsa por Análise Técnica
Clique para conhecer o livro Como Investir em ETF
Clique para conhecer o Livro Como Investir no Exterior