O gráfico acima mostra a cotação OURO SPOT cotado e negociado internacionalmente. O preço do ouro spot refere-se ao preço do ouro para entrega imediata. As transações de ouro envolvendo moedas ou barras são quase sempre precificadas usando o preço spot.

O mercado de ouro funciona quase 24 horas por dia (23 horas por dia de domingo a sexta-feira), pois quase sempre há um local em algum lugar do mundo que está ativamente recebendo pedidos de transações de ouro. A maior parte das negociações envolvendo ouro ocorre no mercado financeiro de Nova York, Londres, Sydney, Hong Kong, Tóquio e Zurique. Há um período de uma hora entre 5 p.m. e 6 p.m., horário oriental, onde nenhum mercado está negociando ativamente.

O gráfico mostra o preço de 1 onça troy em dólares. Uma onça troy de ouro é a mesma em todo o mundo e para transações maiores são geralmente precificadas em dólares americanos, pois esse é o mercado mais ativo; no entanto, o valor de uma onça de ouro pode ser maior ou menor com base no valor da moeda de uma nação. Tradicionalmente, moedas mais fortes que o dólar americano têm um valor inferior ao ouro, preço onde moedas mais baixas que o dólar americano têm preços mais altos.

Medidas do Ouro

Os preços do ouro e dos metais mais preciosos são cotados em onças troy; no entanto, países que adotaram o sistema métrico precificam o ouro em gramas, quilogramas e toneladas.

  • Gramas = 0,032151 onças troy
  • Kg = 32,150747 onças troy
  • Toneladas = 32.150.7466 onças troy

Embora você possa comprar ouro em qualquer moeda do mundo, é importante perceber que, em última análise, tudo é baseado no valor do dólar americano. Dado que os EUA são a maior economia do mundo e uma das mais estáveis, o dólar tornou-se uma moeda de reserva, o que significa que é mantido em quantidades significativas por outros governos e grandes instituições. Moedas de reserva são usadas para liquidar transações internacionais. Desde o início do século XX, o dólar americano tem sido a moeda de reserva dominante em todo o mundo.

Desde o Antigo Egito, o ouro tem sido considerado como uma reserva de riqueza. Historicamente, apesar de sua volatilidade, o ouro tradicionalmente tem um bom desempenho durante períodos de turbulência financeira ou fraqueza econômica. Para ajudar a estabilizar uma economia, um banco central afrouxará sua política monetária ou o governo introduzirá iniciativa fiscal, essas medidas podem impactar a moeda de uma nação e, em última instância, aumentar a demanda doméstica de ouro. Os investidores compram ouro quando perdem a confiança em sua moeda.

Instituições do mercado de ouro

Fundado em 1987, o World Gold Council (também conhecido como WGC) se tornou a organização de desenvolvimento de mercado para a indústria do ouro responsável por estimular a demanda, desenvolver usos novos para o ouro e levar novos produtos para o mercado. Com sede no Reino Unido, os membros do WGC incluem grandes empresas de mineração de ouro. Atualmente, há 17 membros, incluindo Agnico Eagle, Barrick Gold, Newmont/Goldcorp, China Gold, Kinross, Franco Nevada, Silver Wheaton, Yamana Gold e muitas outras.

Outra instituição importante do mercado de ouro, com sede em Londres, a London Bullion Market Association (LBMA) é uma associação comercial internacional, que representa os mercados de metais preciosos, incluindo ouro, prata, platina e paládio. Seus membros atuais incluem 140 empresas compostas por refinarias, fabricantes, comerciantes, etc. A LBMA é responsável por definir os preços de referência para ouro e prata.

Como as pessoas investem em ouro?

Uma forma muito utilizada em todo o mundo para o investimento no ouro é o ETF chamado SPDR Gold Shares que possui o código GLD. Temos um artigo sobre ele aqui onde também é possível estudar o seu gráfico. O GLD é o maior fundo de ouro negociado em bolsa do mundo. Gerenciada e comercializada pela State Street Global Advisors, está disponível em qualquer corretora americana, onde os brasileiros podem abrir conta. Este ETF foi lançado em novembro de 2004 e foi originalmente listado na Bolsa de Valores de Nova York.

Quem influencia o preço do ouro

Bancos centrais podem interferir no preço do ouro. Um banco central é um banco nacional que implementa políticas monetárias e emite moeda para seu respectivo país. Isso significa que um banco central pode afetar a quantidade de dinheiro em seu país para ajudar a estimular a economia, se necessário. O Federal Reserve é o banco central dos Estados Unidos, enquanto a Europa tem o Banco Central Europeu (BCE). Outros bancos centrais incluem o Banco do Japão, o Banco da Inglaterra, o Banco do Povo da China, o Deutsche Bundesbank na Alemanha, para citar alguns. No Brasil temos o nosso BCB (Banco Central do Brasil). Os bancos centrais também são responsáveis pela gestão das reservas de seu país, incluindo suas reservas cambiais, que consistem em cédulas estrangeiras, depósitos de bancos estrangeiros, contas do tesouro estrangeiro, títulos públicos estrangeiros de curto e longo prazo, reservas de ouro, direitos especiais de saque e posições de reserva do Fundo Monetário Internacional. Quando os bancos centrais estão aumentando suas reservas em ouro isso inevitavelmente aumenta a demanda por ouro no mercado interferindo no preço.

Taxas de juros e flutuações cambiais. Embora o ouro seja um dos principais mercados de commodities, atrás apenas do petróleo bruto, seus preços não refletem os fundamentos tradicionais de oferta e demanda. O preço da maioria das commodities é geralmente determinado pelos níveis de estoque e pela demanda esperada. Os preços sobem quando os estoques estão baixos e a demanda é alta; no entanto, os preços do ouro são mais impactados pelas taxas de juros e flutuações cambiais. Muitos analistas observam que, devido ao valor intrínseco do ouro, ele é visto mais como uma moeda do que como uma mercadoria, uma das razões pelas quais o ouro é referido como metais monetários.

Dólar e sentimento. O ouro está altamente inversamente correlacionado com o dólar americano e os rendimentos dos títulos. Quando o dólar cai junto com as taxas de juros, o ouro se valoriza. O ouro é mais impulsionado pelo sentimento do que pelos fundamentos tradicionais.

Em termos mais simples, as taxas de juros representam o custo do empréstimo de dinheiro. Quanto menor a taxa de juros, mais barato é emprestar dinheiro na moeda daquele país. As taxas têm impacto no crescimento econômico. As taxas de juros são uma ferramenta vital para os banqueiros centrais nas decisões de política monetária. Um banco central pode reduzir as taxas de juros para estimular a economia, permitindo que mais pessoas emprestem dinheiro e, assim, aumentem o investimento e o consumo. As taxas de juros baixas enfraquecem a moeda de uma nação e empurram para baixo os rendimentos dos títulos, ambos são fatores positivos para os preços do ouro.

A flexibilização quantitativa (QE) é uma ferramenta de política monetária usada pelos banqueiros centrais em resposta à crise financeira de 2008. A ferramenta foi usada pela primeira vez no Japão, mas tornou-se um termo amplamente utilizado depois que o ex-presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke introduziu o conceito nos EUA em resposta à queda do grande banco de investimentos Lehman Brothers. Bernanke comprou dívidas ruins de outros grandes bancos comerciais, a fim de evitar que eles ficassem inadimplentes, ao mesmo tempo em que aumentava a oferta de dinheiro. Desde então, outros bancos centrais implementaram essa ferramenta, incluindo o Banco Central Europeu e o Banco do Japão. O QE tem riscos, incluindo o aumento da inflação se muito dinheiro for criado para comprar ativos.

Se você quiser aprender mais sobre investimentos e educação financeira acompanhe os artigos que escrevo semanalmente aqui no Clube dos Poupadores. Eu aviso todos os leitores inscritos quando existem novidades. Para se tornar um leitor inscrito gratuitamente basta preencher o formulário e depois confirmar sua inscrição através do e-mail que enviarei para você.

Informe o seu e-mail:

Aprenda a investir:

Livros que escrevi para ajudar você a melhorar os seus resultados financeiros:

Clique para conhecer o livro Independência Financeira
Clique para conhecer o livro Como Investir em CDB, LCI e LCA
Clique para conhecer o livro Como Investir em Títulos Públicos
Clique para conhecer o livro Como Investir na Bolsa por Análise Fundamentalista
Clique para conhecer o livro sobre Como Investir na Bolsa por Análise Técnica
Clique para conhecer o livro Como Investir em ETF
Clique para conhecer o Livro Como Investir no Exterior